Header Ads


Política - Bolsonaro fala a manifestantes na Paulista e exalta Constituição.

        Manifestações em todo país têm atos de apoio e contra Bolsonaro.     —  Foto: Reprodução/Facebook.
 
Política - Bolsonaro fala a manifestantes na Paulista e exalta Constituição.
Publicado no Conexão Notícia em  1º.maio.2022. Atualizado  em  02.maio.2022.        

Grupo no WhatsApp Por volta das 11h30, o presidente Jair Bolsonaro (PL) esteve na Esplanada dos Ministérios e caminhou, entre os manifestantes. Após participar do ato, o presidente  se dirigiu ao Palácio da Alvorada.
-
-
Um carro de som está próximo ao Congresso Nacional, onde ocorre a maior concentração de pessoas e governistas discursam. Mais cedo, uma motociata percorreu a principal via que liga a Asa Sul à Asa Norte.

“Quero cumprimentar o pessoal que está aqui na manifestação pacífica em defesa da Constituição, da democracia e da liberdade. Então, parabéns a todos de Brasília e aos manifestantes de todo o Brasil, que hoje estarão nas ruas. Estamos juntos, o Brasil é nosso. Deus, pátria e família”, declarou o presidente Bolsonaro.


      O presidente Jair Bolsonaro acenou para apoiadores durante manifestação pró-governo em Brasília.     —  Foto: Reprodução/Facebook.

Prestigiaram o ato os ministros-generais Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria-Geral da Presidência da República, e Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI). Os ex-secretários Jorge Seif (Pesca) e Mario Frias (Cultura), o deputado federal Hélio Lopes (PL-RJ) e o filho “04” Jair Renan, também foram vistos na manifestação.
-
-
Bolsonaro era esperado em uma motociata realizada na capital federal, mas acabou não participando do passeio, que foi ocorreu sem ele. Existe a expectativa de que o mandatário compareça às manifestações em São Paulo ainda hoje, possivelmente por videochamada.

O grupo de manifestantes se concentra no gramado em frente ao Itamaraty e o Ministério da Justiça, no lado oposto, e não chega a preencher todo o gramado.

Entre os participantes é possível ver faixas contrárias ao Supremo, incluindo pedidos de destituição de ministros e cobranças ao Senado, responsável por analisar pedidos de impeachment contra os integrantes da Corte.

"Sim à liberdade, não à ditadura", dizia uma das faixas. "STF sim, mas esses ministros não", afirmava outra. Em um dos carros de som, os dizeres: "Criminalização do comunismo. Destituição dos ministros".

As manifestações no país ocorrem após a condenação do deputado Daniel SIlveira (PTB-RJ), por ameaças de violência contra ministros do Supremo e ataques às instituições democráticas. Numa afronta à Corte, Bolsonaro concedeu indulto individual (graça) ao parlamentar no dia seguinte ao julgamento.
-
-

Outros bolsonaristas participam do ato em Brasília. Nas redes sociais, a deputada Bia Kicis (PL-DF) afirmou que a manifestação também é um ato em apoio ao indulto concedido pelo presidente a Silveira , condenado pelo STF.

"Hoje é dia de irmos para a rua apoiar o nosso presidente Bolsonaro, seu decreto de indulto, de apoiar a liberdade que não é do Daniel Silveira só. É de todos nós", disse Kicis.

        Manifestação em 1º de maio de 2021, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (DF). —  Foto: Reprodução.

No evento, a deputada afirmou que Silveira é um "símbolo" do que ela chamou de luta pela liberdade.

Ministros de Estado também estão presentes, entre eles o chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência, Augusto Heleno. Heleno discursou no ato e afirmou que não é um dia de "revanche".
-
-
— Hoje não é um dia de revanche, não é um dia de malcriação, não é um dia de expressar raiva. É Dia do Trabalhador.

No sábado (30/4), ao convocar seus apoiadores para os atos em diversas capitais do país, Bolsonaro afirmou que esses eventos não visavam protestar, mas enviar recados e demonstrar união em torno do projeto representado pelo governo federal.


         As manifestações reuniram apoiadores de Bolsonaro em frente ao Congresso, em Brasília, no Dia do Trabalho — Foto: TV Globo/Reprodução.

“Amanhã não será dia de protestos. Será dia de união do nosso povo para um futuro cada vez melhor para todos nós”, pontuou o mandatário.

A data em que se celebra o Dia do Trabalhador o país conta com expressivas manifestações. As lideranças que apoiam Bolsonaro também convocaram atos para demonstrar apoio ao presidente.
-
-
Na sexta-feira (29/4), em aceno de moderação no tom, Bolsonaro disse não querer “peitar” o Supremo. O titular do Palácio do Planalto reconheceu que o deputado falou “coisas absurdas”, mas que não justificam a pena aplicada. Na visão dele, houve um “excesso” na dosimetria da pena, e o perdão ao parlamentar buscou “corrigir essa injustiça”.

CN - Conexão Notícia.
O jornalismo do Conexão Notícia precisa de você para continuar marcando ponto na vida das pessoas. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de qualquer valor, você pode fazer a diferença. Veja como doar aqui!


-
-
ISTOÉ - Fake: a ONU jamais inocentou Lula. Aliás, nem mesmo o STF.

      Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.     —  Foto/Reprodução.
 
Luiz Inácio Lula da Silva, o meliante de São Bernardo, pode ser tudo, menos inocente. Ao contrário. Foi condenado duas vezes, e em duas instâncias diferentes, por corrupção e lavagem de dinheiro, e teve ambas as condenações ratificadas pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça) e a prisão autorizada pelo próprio STF (Supremo Tribunal Federal).

-
Fernando Rocha desabafa sobre saída da Globo: “Me sentia como um cachorro”

        O jornalista Fernando Rocha abriu o jogo sobre o seu desligamento da Globo.     —  Foto/Reprodução.
 
O jornalista trabalhou por quase três décadas na TV Globo e, na época da demissão apresentava o programa “Bem Estar” ao lado de Mariana Ferrão. “Trabalhei lá durante 30 anos, em Belo Horizonte, em Recife, um pouco no Rio e em São Paulo também a maior parte do tempo”, relembrou. Leia a matéria completa, aqui!

LEIA TAMBÉM:
-
-
Tecnologia do Blogger.