Redes Sociais

Header Ads

Servidor público que receber auxílio emergencial sem ter direito pode perder o cargo

Mais de 680 mil servidores foram beneficiados com o Auxílio Emergencial.  —  Foto/Reprodução.

Servidor público que receber auxílio emergencial sem ter direito pode perder o cargo
Publicado no Conexão Notícia em 01.set.2020.  

Auxílio Emergencial Projeto em análise no Senado estabelece punições mais rigorosas para servidores públicos que se envolverem em fraudes. Um exemplo é o caso de quem recebeu auxílio emergencial sem obedecer aos critérios necessários. 

Pelo PL 4.104/2020, de autoria do senador Carlos Viana (PSD-MG), o servidor condenado em pena superior a um ano, por causar dano ao patrimônio público, também pode perder cargo, função ou mandato eletivo. O que você acha da proposta? Opine pelo portal e-Cidadania.

Foram identificados mais de 680 mil servidores beneficiados pelo Auxílio Emergencial,  foram envolvidos quase um bilhão de reais.

VEJA TAMBÉM:
Ministério Público firma termo de ajustamento com agentes comunitários de saúde
PE: Sindicalistas destacam aposentadoria especial em live
BAHIA: Prazo para recadastramento no SUS é prorrogado até 30 de setembro
CONACS faz a 1ª reunião de diretores e lideranças filiadas do ano em plataforma virtual 
Lei Ruth Brilhante: Além dos direitos dos ACS/ACE, ela estabelece as novas atribuições 
Idosa é furtada por mulheres que se passaram por agentes de saúde
PB: Secretário de Saúde destaca importância dos agentes de desinfecção
Conheça a Lei Ruth Brilhante: ela estabelece as novas atribuições dos Agentes de Saúde
Folha de S. Paulo: 12.545 agentes de saúde infectado por Covid-19 no Brasil
Luto: Morre o agente comunitário de saúde Carlos Roberto Alves

Quem recebeu o auxílio indevidamente, pode devolver por meio do endereço
devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br

No site acima será possível baixar uma guia de recolhimento bancário para efetuar a devolução. 

O Auxílio Emergencial é um benefício financeiro concedido pelo Governo Federal e tem por objetivo fornecer proteção emergencial no enfrentamento à crise causada pela pandemia do Coronavírus - COVID 19, em conformidade com a Lei nº 13.982, de 2 de abril de 2020.
Para devolução das parcelas recebidas fora dos critérios para recebimento do auxílio, basta seguir as orientações abaixo:

1. Informar o CPF do Beneficiário que irá fazer a devolução;
2. Selecionar a opção de pagamento da GRU – “Banco do Brasil” ou “qualquer Banco”.
Para pagamento no Banco do Brasil, basta marcar a opção “Não sou um robô” e clicar no botão “Emitir GRU”;

Para pagamento em qualquer banco, é necessário informar o endereço do Beneficiário, conforme informações que serão pedidas após selecionar “Em qualquer Banco”, marcar a opção “Não sou um robô” e clicar no botão “Emitir GRU”.


De posse da GRU, é necessário fazer o pagamento nos diversos canais de atendimento dos bancos tais como via internet, terminais de autoatendimento, e guichês de caixa das agências, lembrando que a GRU com opção de pagamento no Banco do Brasil, só pode ser paga via canais e agências do próprio Banco.

Proposições legislativas
PL 4.104/2020

Fonte: Agência Senado



Médicos voluntários do Projeto Missão Covid atendem pessoas com suspeita da doença ou com dúvidas sobre o novo coronavírus. 



Postar um comentário

0 Comentários