Redes Sociais

Header Ads

+Cristãos enfrentam perseguições severas na Arábia Saudita

A Arábia Saudita está na posição 15 da Lista Mundial da Perseguição.

Cristãos enfrentam perseguições severas na Arábia Saudita

Como quem nasce no país é considerado muçulmano, quando um deles se torna cristão a perseguição é extrema

Com uma classificação de 77 pontos, a Arábia Saudita esteve na posição 15 da Lista Mundial da Perseguição do ano de 2019. Atualmente, um número menor de cristãos foi detido e forçado a deixar o país. A Arábia Saudita é um dos poucos países do mundo onde a construção de igrejas é proibida. Muitos convertidos estão sob forte pressão de suas famílias e temem enfrentar reações violentas se sua nova fé se tornar conhecida. Convertidos correm um risco alto de serem sentenciados à morte por apostasia, entretanto, até onde se sabe, não houve, oficialmente, ninguém executado por essa razão nos últimos anos.

A média de pressão nos cristãos permanece estável no mesmo nível extremo (14,9 pontos) do ano anterior. A pontuação para pressão na esfera da família é a única que está em um nível muito alto, beirando o extremo. Isso acontece porque cristãos estrangeiros experimentam quase nenhuma ou pouca pressão, já que as famílias de migrantes cristãos geralmente não vivem com eles na Arábia Saudita.

A pressão mais extrema se dá nas esferas da igreja, nação e vida privada, uma situação típica em um país onde a opressão islâmica é o principal tipo de perseguição, combinada com a paranoia ditatorial. Já a pressão resultada de opressão islâmica misturada com o antagonismo étnico é mais presente na vida privada, família e comunidade, sendo exercida principalmente sobre cristãos ex-muçulmanos no ambiente social. Quanto à pontuação para violência, ela caiu de 4,1 para 2,4, com relação ao ano anterior.

Como a perseguição acontece

Para sauditas ou outros cristãos ex-muçulmanos, as pressões mais comuns enfrentadas são na família e comunidade, sendo sentidas mais profundamente por mulheres e meninas. Em um país onde todos os cidadãos são considerados muçulmanos, mulheres cristãs ex-muçulmanas são especialmente vulneráveis. Se sua conversão se torna conhecida, elas são ameaçadas com violência, prisão domiciliar e casamento forçado.

Veja também:
Grupo de 20 cristãos é preso na Eritreia 
Cristãos têm culto interrompido e lutam pelo direito de se reunir novamente, na Indonésia 
Juristas evangélicos poderão ter mais voz na ONU em 2020 
Jovem com Síndrome de Down é palestrante, poliglota e campeão de natação e golfe 

Na rígida sociedade islâmica saudita, mulheres são monitoradas de perto. Elas precisam manter a reputação da família: nenhum comportamento indesejado pode prejudicar a honra da família, já que isso é considerado um pecado mortal. Além disso, deixar o islã é um dos maiores crimes que um muçulmano pode cometer. O sistema legal saudita é baseado na lei da sharia (islâmica) e a apostasia resulta em pena de morte.

Se casada, uma mulher convertida arrisca receber o divórcio e perder a guarda dos filhos. Isso significa a perda de uma rede de segurança e proteção social. Com isso, não é surpresa que a maioria das mulheres convertidas se tornam cristãs secretas ou, em último caso, deixam o país, para sua própria segurança. As mulheres correm muitos riscos de abuso físico e sexual, o que está relacionado a sua posição subordinada na sociedade saudita e sua condição desprotegida quando sozinhas. Mulheres sauditas não têm permissão para deixar suas casas sem serem acompanhadas por um parente homem.

Mudanças no comportamento padrão são rapidamente percebidas e homens convertidos ao cristianismo experimentam pressão exercida pela família e sociedade. Geralmente, os homens são os provedores da família, então, se um cristão é detido ou aprisionado, isso pode ter um impacto econômico significativo na família. Homens e meninos estão sujeitos à perseguição em forma de vergonha pública, isolamento, abuso físico, perda de todas as formas de ajuda e acesso à vida comunitária. Promessas de restauração completa e até mesmo ofertas de recompensa material são feitas para encorajar os convertidos a retornarem para o islã. Tais ofertas são feitas até o momento em que as famílias percebem que o convertido não irá retornar a sua fé. Neste ponto, a ameaça de morte é muito real para a maioria dos convertidos.

Pedidos de oração

- Ore por cristãos isolados de toda a Arábia Saudita, eles sempre lidam com muita pressão da sociedade e família para abandonar a fé, com medo de serem descobertos.

- Interceda para que os cristãos sauditas encontrem formas de compartilhar a verdade com os membros da família.

- Peça que os muçulmanos sauditas conheçam a Jesus.

Fonte:  Portas Abertas / Publicado no Conexão Notícia  em 12/02/2020.

Postar um comentário

0 Comentários