Redes Sociais

Header Ads

R$ 100 milhões: TCU pede a Saúde oitiva de responsáveis por contrato suspeito da gestão Mandetta.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante a coletiva de imprensa. —  Foto/Reprodução/ Marcello Casal Jr./Agência Brasil.  


R$ 100 milhões: TCU pede a Saúde oitiva de responsáveis por contrato suspeito da gestão Mandetta.
Fonte:  CNN,  Caio Junqueira. —  Publicado no  CN em 21.jun.2020.   

Ministério da Saúde | O Tribunal de Contas da União pedirá a oitiva de integrantes do Ministério da Saúde e da empresa Topmed Assistência à Saúde para apurar suspeitas de sobrepreço de mais de 100 milhões de reais em um contrato firmado na gestão de Luiz Henrique Mandetta. 

O pedido decorre de uma representação formulada pelo Ministério Público de Contas, que questionou a contratação direta da empresa para prestar serviços de atendimento pré-clínico via telefone. O valor do contrato é de R$ 144 milhões, mas foi detectado em um levantamento prévio sobrepreço de R$ 104 milhões.

No despacho obtido pela CNN proferido pelo relator do processo no TCU, ministro Benjamin Zymler, ele pede que sejam ouvidos os responsáveis pelo contrato a Saúde e pela empresa para esclarecer os seguintes tópicos:

“a) ausência de especificações mínimas dos serviços desejados pelo Ministério da Saúde para a referida contratação, deixando-se a cargo da empresa contratada tal incumbência;

VEJA TAMBÉM:
O Drama sul-coreano  envolvendo um Agente de Saúde, foi lançado no Netflix 
Heróis da linha de frente: Agentes de Saúde são fundamentais no combate à Covid-19
PE: SINDACS atendimento jurídico aos ACS/ACE do Agreste será retomado em julho
Porto Alegre: Abertas inscrições para agente comunitário e de combate às endemias
Os obstáculos de uma agente de saúde transplantada no combate ao coronavírus  
Paraná: Curitiba tem a menor cobertura de agentes comunitários de saúde em 10 anos
Na mira da Polícia Federal: Secretarias de Saúde são alvos em Pernambuco  
Piauí: Prefeito entrega tablets para agilizar trabalho de Agentes Comunitários de Saúde  

b) existência de possível sobrepreço no custo unitário por ligação (correspondendo a um sobrepreço global no valor de R$ 104.851.090,07), a partir da alteração do valor unitário de R$ 5,80 para valores que variam de R$ 21,33 a R$ 23,19, sem justificativas plausíveis nos autos do processo; e

c) ausência de capacidade operacional da empresa contratada para prestação dos serviços com uma demanda prevista superior a um milhão de ligações mensais, em razão de informação do processo de contratação de que a capacidade de atendimento da empresa é de apenas 191.250 ligações/mês;”

Zymler, segundo uma fonte, avalia suspender o contrato a partir das informações que forem prestadas pelos responsáveis.

 


Médicos voluntários do Projeto Missão Covid atendem pessoas com suspeita da doença ou com dúvidas sobre o novo coronavírus. 





Postar um comentário

0 Comentários