Redes Sociais

Header Ads

Ex-ministro Abraham Weintraub foi confirmado como diretor do Banco Mundial

 Ex-ministro Abraham Weintraub é o novo diretor do Banco Mundial—  Foto/Reprodução.

Ex-ministro Abraham Weintraub foi confirmado como diretor do Banco Mundial 
Publicado no Conexão Notícia em 31.jul.2020.  

Brasil | Ex-ministro da Educação deve assumir na primeira semana de agosto e, segundo a instituição, permanecer no cargo até 31 de outubro de 2020.

Abraham Weintraub foi confirmado como diretor do Banco Mundial. A informação foi divulgada pela instituição na noite de quinta-feira (30). 

De acordo com o comunicado oficial, o ex-ministro da Educação foi eleito 'Diretor Executivo no Conselho do Banco' pelo grupo de países do chamado 'constituency'.

Com isso, Weintraub passa a representar um bloco formado por Brasil, Colômbia, República Dominicana, Equador, Haiti, Panamá, Filipinas, Suriname e Trinidad e Tobago. 

"O Sr. Weintraub deve assumir seu cargo na primeira semana de agosto e cumprirá o atual mandato que termina em 31 de outubro de 2020, quando a posição será novamente aberta para eleição", explica o Banco Mundial. 

Saída do Ministério da Educação
Abraham Weintraub deixou o cargo de ministro da Educação no dia 18 de junho. O anúncio foi feito por ele em rede social após reunião com o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido).

VEJA TAMBÉM: 
Toffoli pede informações à juíza de MG antes de decidir sobre depoimento de Aécio 
TikTok: o que se sabe sobre empresa por trás do aplicativo e seu enigmático dono
Nick Cordero, ator da Broadway, morre aos 41 anos por complicações da Covid-19
Covid-19: Brasil registra 614 mortes em 24h; total de óbitos ultrapassa 87 mil
DINHEIRO: Quais as diferenças entre salário, vencimento, remuneração e provento?
Municípios receberão até R$ 500 milhões por desempenho nos serviços da AP
Câmara aprova auxílio de R$ 16 bilhões para estados e municípios na pandemia
Caixa divulga orientação para desbloqueio de contas

"Agradeço a todos de coração, em especial ao presidente Jair Bolsonaro, o melhor presidente do Brasil", escreveu Weintraub à época. 

A situação do ministro já era complicada desde a divulgação do vídeo da reunião ministerial de 22 de abril, em que Weintraub sugeriu colocar os "vagabundos" do STF na cadeia. A fala gerou críticas de ministros da Corte e de parlamentares.

Durante a reunião, o próprio Weintraub lembrava que era um ministro "ativista". Seus ataques nas redes resultaram em dezenas de processos na Justiça. Ao ficar fora do governo o ministro perde o foro privilegiado e esses processos serão remetidos às instâncias inferiores.

No final de maio (28), o agora ex-ministro criticou ainda a operação da PF (Polícia Federal) sobre o inquérito das fake news. Ele chamou o cumprimento de 29 mandados de busca e apreensão, que foram realizados em endereços ligados a apoiadores de Bolsonaro, de Noite dos Cristais brasileira, em referência ao trágico dia do regime nazista.

Fonte:  Portal R7


Postar um comentário

0 Comentários