Redes Sociais

Header Ads

Rússia e França amplia uso da hidroxicloroquina no tratamento do coronavírus

  A hidroxicloroquina está sendo usada para salvar vida em vários países. —  Foto/Reprodução/Chesnot/Getty Images 


Rússia e França amplia uso da hidroxicloroquina no tratamento do coronavírus
Fonte:  Relevante News/AFP —  Publicado no CN - Conexão Notícia em 17.maio.2020.   

COVID-19 - Em decreto, governo estabelece que pacientes ambulatoriais também podem receber o medicamento.

Na França, o governo local decidiu ampliar o uso da hidroxicloroquina no tratamento de pessoas com o novo coronavírus. A determinação, que permite o uso do medicamento também em pacientes ambulatoriais, foi publicada esta semana em decreto.

Segundo a normativa, os pacientes poderão ser tratados com a combinação da hidroxicloroquina e outros remédios. Em alguns países, só é permitido o uso do medicamento em pessoas que estão em estado grave.

“A hidroxicloroquina e a combinação lopinavir / ritonavir podem ser prescritas, dispensadas e administradas sob a responsabilidade de um médico para pacientes afetados pela covid-19, nos estabelecimentos de saúde que se encarregam deles, bem como para a continuação do tratamento se a sua condição permitir e com a autorização do prescritor inicial, em casa.”

Pelo decreto, a prescrição do medicamento só pode ser realizada por especialistas de determinadas áreas da medicina.

Além do uso da hidroxicloroquina, o documento também estabelece outras medidas para o enfrentamento da doença, como distanciamento social, regras para o transporte e para a retomada de algumas atividades.

Rússia autoriza tratamento com hidroxicloroquina para COVID-19 - AFP

O governo russo autorizou o tratamento de pacientes com COVID-19 com a hidroxicloroquina, um derivado do remédio contra malária cloroquina, cuja eficácia é alvo de debate mundial.

Em um decreto publicado em 16/04, o governo russo deu instruções às organizações médicas nesse sentido, acrescentando que a China entregou mais de 68.000 caixas deste remédio ao país.

O texto foi publicado depois de um telefonema  entre os presidentes russo, Vladimir Putin, e chinês, Xi Jinping.

Veja também:
Mais de 84,9 mil brasileiros estão curados da Covid-19
MELHORA: Amazonas: mais de 10 mil casos de Covid-19 já receberam alta 
Viralizou na internet: Globo “erra” e aumenta número de mortos por Covid-19 no RJ
Solução: Pesquisadora de Havard aponta agentes de saúde no combate ao Covid-19
Subir em cadáveres para arrancar recursos do governo é inaceitável, diz Paulo Guedes
Enfermeiro se recupera da Covid e volta ao trabalho
Secretaria Especial da Cultura: Governo exonera secretário adjunto de Regina Duarte
MEC prorroga por mais 30 dias a suspensão de aulas presenciais no ensino superior 
Pernambuco: Dos 83 óbitos por Covid-19 em PE, 65 com comorbidades 

A hidroxicloroquina passou a ser distribuída nos hospitais que tratam os pacientes que deram positivo para coronavírus, ou sob suspeita de contaminação.

A agência russa de controle dos serviços médicos monitoram o quadro para garantir a segurança e a eficácia do remédio.

A hidroxicloroquina, assim como a cloroquina, derivada da quinina, são há várias décadas prescritas para tratar a malária.

Embora sejam conhecidas por suas propriedades antivirais, ambas têm graves efeitos colaterais - em especial, se forem ministradas em altas doses, ou junto com outros medicamentos.

Alguns médicos e governantes defendem o amplo uso deste fármaco na conjuntura atual, classificado de "presente dos céus" pelo presidente americano, Donald Trump.


Médicos voluntários do Projeto Missão Covid atendem pessoas com suspeita da doença ou com dúvidas sobre o novo coronavírus. 






Postar um comentário

0 Comentários