Redes Sociais

Header Ads

IGREJA PERSEGUIDA: Cuba aumenta a repressão contra cristãos em meio à pandemia

 Com templos fechados, cristãos não conseguem fazer cultos e reuniões online, devido o alto custo de internet no país. —  Foto/Reprodução/Portas Abertas.  


IGREJA PERSEGUIDA: Cuba aumenta a repressão contra cristãos em meio à pandemia
Fonte: Portas Abertas.* —  Publicado no  CN em 13.jun.2020.   

Gospel  — País está quase proclamando vitória sobre o coronavírus, ao custo dos direitos e liberdades humanas.

Na segunda-feira (8), Cuba registrou o nono dia sem morte por coronavírus. O governo registrou mais de 2.200 infecções e 83 mortes em uma população total de 11 milhões, uma conquista que foi atribuída ao seu rigoroso regime de medidas de pandemia, incluindo testes, rastreamento e quarentena.

No mesmo período, no entanto, outra estatística impressionante foi registrada: 96% dos cubanos sofreram violações dos direitos humanos.

“Para os cristãos, a crise do coronavírus simplesmente exacerbou uma situação que já era difícil”, disse Rossana Ramirez, analista de perseguição da Portas Abertas.

Apenas alguns meses atrás, as igrejas em Cuba estavam sendo demolidas por motivos legais arbitrários e os cristãos que criticam as políticas do partido no poder estavam enfrentando assédio e sanções.

“Tais medidas do governo buscam intimidar e subjugar os cristãos e impedir que a fé cristã se espalhe entre a população”, disse ela.

Yoe Suárez, jornalista cubano independente e evangélico que relata questões de direitos humanos e liberdade religiosa para agências de notícias locais e internacionais, foi convocado em março por agentes de segurança estatais que o acusaram de “dissidência” e “disseminação de propaganda inimiga”.

VEJA TAMBÉM:
+“A igreja precisa superar a mídia com notícias de esperança”, afirma pastor
Jovem sobrevive a grave acidente e diz que só está viva para “compartilhar Jesus”
Pela primeira vez cristãos evangélicos são maioria em El Salvador, diz pesquisa
ENTREVISTAS: O cristão deve estar na política para servir à sociedade, ensina pastor 
Falta de liberdade para falar de Jesus é o maior sofrimento de cristãos perseguidos 
Marido de Fabiana Anastácio lembra de última conversa 
Pastor vence processo contra mulher que lhe chamou de “homofóbico” após comentário 
Cristãos são privados de ajuda na pandemia, no Vietnã: “Seu Deus cuidará de vocês” 

Ele está sob uma proibição indefinida de deixar o país e foi assediado várias vezes durante o afastamento social, incluindo ameaças à sua família.

Outros desafios
Os líderes da igreja enfrentam outros desafios. Durante o distanciamento social, as igrejas tentaram fazer reuniões de oração, estudos bíblicos e assistência pastoral em plataformas online, mas o alto custo da internet na Ilha impossibilitou.

Também existe a preocupação com os cristãos que estão na prisão ou estão em prisão domiciliar. Em abril de 2019, o pastor Ramón Rigal e sua esposa, Ayda Exposito, receberam sentenças de prisão por educarem seus filhos em casa.

Enquanto Ayda foi libertada 14 dias antes de completar sua sentença de um ano, seu marido ainda está atrás das grades, cumprindo o restante de sua sentença de dois anos.

Portas Abertas*  
Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.





Médicos voluntários do Projeto Missão Covid atendem pessoas com suspeita da doença ou com dúvidas sobre o novo coronavírus. 





Postar um comentário

0 Comentários