Redes Sociais

Header Ads

Proposta torna obrigatório exame de doenças raras em recém-nascidos

Eduardo da Fonte: diagnóstico precoce faz muita diferença no tratamento—  Foto/Reprodução.

Proposta torna obrigatório exame de doenças raras em recém-nascidos
Publicado no Conexão Notícia em 11.ago.2020.  

Câmara dos Deputados  O Projeto de Lei 3736/20 torna obrigatória a realização de exame em recém-nascidos para identificar doenças raras nas redes de saúde pública e privada.

A proposta, do deputado Eduardo da Fonte (PP-PE), tramita na Câmara dos Deputados.

Cerca de 13 milhões de brasileiros têm algum tipo de doença rara, segundo Ministério da Saúde. Aproximadamente 75% das pessoas com essas enfermidades são crianças, e 30% do total dos pacientes morrem antes dos cinco anos.

Segundo Eduardo da Fonte, o tratamento é mais eficaz na fase pré-sintomática, ou seja, logo ao nascer de um bebe com doença rara. “Isso faz toda a diferença no desenvolvimento da criança, transformando uma sentença de morte em uma vida normal e produtiva.”

VEJA TAMBÉM: 
Projeto permite que servidores contem em dobro tempo de serviço durante pandemia
Mãe de profissional de Saúde: Após perder filho, brasileira ajuda vítimas da Covid-19
Filha de Vanusa quer arrecadar 150 mil reais para construir casa para a cantora  
Decisão do STF reconhece o Coronavírus como acidente de trabalho 
Covid-19: Brasil chega a 2,8 milhões de casos; 70,3% estão recuperados
Afiliada da Globo promove demissão em massa em SP
Bolsonaro cogitou enviar tropas para ocupar o STF e destituir os 11 ministros, diz revista 
Israel oferece ajuda humanitária para o Líbano após explosão em Beirute
Quem é o adolescente que causou ao Twitter seu maior escândalo de segurança
Andradina/SP: Médico alerta para pessoas tentando se passar por agentes de saúde 
Coronavírus: por que a covid-19 afeta tanto os profissionais de saúde?
COVID-19: Novo 'bafômetro' é capaz de detectar o coronavírus em apenas um minuto
A irredutibilidade de vencimentos do servidor e o direito adquirido

O parlamentar afirma que o teste obrigatório trará economia a longo prazo, com a prevenção contra sintomas incapacitantes, que podem gerar gastos públicos durante toda a vida do paciente.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

Reportagem - Tiago Miranda
Edição - Marcelo Oliveira

Fonte: Agência Câmara de Notícias
Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados


Postar um comentário

0 Comentários