Redes Sociais

Header Ads

Ministério da Saúde prorroga campanha de vacinação contra a gripe até 30 de junho

Na primeira fase da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe de 2020, mais de 100% do grupo prioritário, idosos com 60 anos ou mais e trabalhadores de saúde foram vacinados contra influenza —  Foto/Reprodução/Guilherme Pinto.  


Ministério da Saúde prorroga campanha de vacinação contra a gripe até 30 de junho
Fonte:  Portal Extra —  Publicado no  CN em 23.jun.2020. 

Coronavírus | Na primeira fase da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe de 2020, mais de 100% do grupo prioritário, idosos com 60 anos ou mais e trabalhadores de saúde foram vacinados contra influenza.

O Ministério da Saúde anunciou na sexta-feira (29) a prorrogação da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe para até 30 de junho, em todo o país. A terceira e última fase teve início no dia 11 de maio, com prioridade aos grupos formados por pessoas com deficiência, crianças de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes, puérperas, professores e pessoas de 55 a 59 anos de idade. A meta é vacinar 90% dos grupos prioritários, porém, até o momento, foram vacinadas apenas 25,7% de 36,1 milhões de pessoas estimadas nesta terceira fase.

Desde o início da ação nacional, em 23 de março, 50 milhões de pessoas foram vacinadas, faltando ainda 28,3 milhões que ainda não receberam a vacina. A dose imunizante é importante para reduzir complicações e óbitos por influenza. Ela pode ser tomada gratuitamente, pelo público-alvo, em postos de saúde de todo o Brasil.

A vacina contra influenza não tem eficácia contra o coronavírus, porém, neste momento, irá auxiliar os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para a Covid-19, já que os sintomas são parecidos. E, ainda, ajuda a reduzir a procura por serviços de saúde.



— Estamos com uma campanha em andamento e é fundamental que as pessoas que fazem parte dos grupos de risco, que ainda não se vacinaram, procurem os postos de saúde. Por conta do baixo alcance da meta nesses grupos prioritários, nós, em acordo com os estados e municípios, estamos prorrogando a campanha, de 5 para 30 de junho. É mais uma oportunidade para que os públicos de todas as fases, que ainda não se vacinaram, possam procurar de forma organizada as unidades de saúde — explica o secretário substituto de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Eduardo Macário.

A terceira e última fase foi dividida em duas etapas: a primeira ocorreu no período de 11 a 17 de maio, com foco nas pessoas com deficiência; crianças de seis meses a menores de seis anos; gestantes; e mães no pós-parto (até 45 dias). Nesta segunda etapa, que agora segue até o dia 30 de junho, estão os professores das escolas públicas e privadas, que devem apresentar o crachá funcional para comprovar o vínculo com alguma instituição; e os adultos de 55 a 59 anos de idade.

VEJA TAMBÉM:
A situação dos agentes comunitários de saúde apresentada pela Frente Parlamentar
AL: Agentes de saúde não toleram “improvisos” da prefeitura e decidem voltar ao campo 
Mogi/SP: quatro unidades de saúde receberam inscrições para agentes comunitários
Apenas 62% da população capixaba é atendida por agentes comunitários de saúde
Dois dias acompanhando o trabalho dos Agentes de saúde na linha de frente  
Agentes de saúde de SP enfrentam de desinformação a baile funk no combate ao vírus
TCU pede a Saúde oitiva de responsáveis por contrato suspeito da gestão Mandetta
O Drama sul-coreano  envolvendo um Agente de Saúde, foi lançado no Netflix 
Heróis da linha de frente: Agentes de Saúde são fundamentais no combate à Covid-19
PE: SINDACS atendimento jurídico aos ACS/ACE do Agreste será retomado em julho

Até o momento, 74,9 milhões de doses da vacina já foram distribuídas aos estados para garantir a imunização do público-alvo da campanha. No total, o Ministério da Saúde investiu R$ 1,1 bilhão na aquisição das doses da vacina para as três fases.

Na primeira fase da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe de 2020, mais de 100% do grupo prioritário, idosos com 60 anos ou mais e trabalhadores de saúde foram vacinados contra influenza, ou seja, acima da meta de 90%. Durante a segunda fase, no entanto, a cobertura foi de 66,61%.

Em 2020, até o dia 23 de maio, foram registrados 1.483 casos de SRAG hospitalizados por influenza (gripe) em todo o país, com 205 mortes. Do total de casos que já tiveram a subtipagem identificada, 581 foram casos de influenza A (H1N1), com 78 óbitos; 64 casos e 13 óbitos por influenza A (H3N2); 361 de influenza A não subtipado, com 61 mortes; e 477 casos e 53 óbitos por influenza B.



Médicos voluntários do Projeto Missão Covid atendem pessoas com suspeita da doença ou com dúvidas sobre o novo coronavírus. 







Postar um comentário

0 Comentários