Redes Sociais

Header Ads

MT: Agentes de combate à endemias adotam medidas de biossegurança e seguem trabalhando durante a pandemia.

Agentes de combate à endemias em atividade. —  Foto/Reprodução.

MT: Agentes de combate à endemias adotam medidas de biossegurança e seguem trabalhando durante a pandemia.
Publicado no Conexão Notícia em 26.jul.2020. 

Agentes de Saúde |  Em pouco mais de seis meses, Cuiabá já superou o número de casos notificados de dengue de todo o ano de 2019. De janeiro a julho deste ano, foram 682 casos registrados. Durante todo o período de 2019, foram 446 casos notificados. No caso da chikungunya, no ano passado foram 148 casos notificados e, neste ano, 19 casos. Já quanto à zika, em 2019 houve 62 registros e, neste ano, foram 10, segundo a Vigilância em Doenças e Agravos do Município.

A coordenadora de zoonoses, Alessandra da Costa Carvalho, explica que, por conta da pandemia, o número de agentes de combate à endemias caiu mais da metade porque muitos são do grupo e risco da Covid-19 (idosos, obesos, hipertensos, diabéticos e outras doenças crônicas) e alguns se infectaram com o novo coronavírus. De cerca de 300 agentes, atualmente, menos de 150 estão na ativa.

Mesmo assim, as visitas domiciliares continuam ocorrendo de segunda a sexta-feira, seguindo todos os procedimentos de biossegurança para os profissionais, com a disponibilização de máscaras e álcool em gel. Além disso, quinzenalmente é feita reunião com os agentes para reforçar as recomendações, como não entrar nas casas, principalmente onde residem pessoas do grupo de risco ou pessoas com suspeita ou confirmação da Covid-19. “Cuiabá nunca deixou de fazer as visitas domiciliares dos agentes de combate à endemias, o que houve foi uma readequação por conta da pandemia”, afirma a coordenadora de zoonoses.

VEJA TAMBÉM:
Agentes comunitários do DF estão sendo capacitados para rastrear hanseníase
SC: Projeto em perfil alimentar tem agente comunitário de saúde como pesquisado
A importância dos Agente Comunitário de Saúde no enfrentamento à Covid-19
Pará: Prefeitura garante reajuste salarial, material e uniforme a agentes comunitários
ES: Novos agentes comunitários concluem curso de capacitação em Alfredo Chaves
Prefeitura de Várzea da Roça entrega tablets e balança digital aos agentes de saúde
Fiocruz divulga uma Nota Técnica sobre os direitos dos Agentes Comunitários de Saúde
Fortaleza/CE: Sai listagem dos ACS/ACE que terão Licença Prêmio
SINDACS/PE realiza agenda com a gestão municipal de Vitória de Santo Antão
A prefeitura de Salvado entrega fardamento sem condições de uso aos ACS

As vistorias são feitas apenas nos quintais das pessoas, verificando se há objetos que podem servir de criadouros do mosquito Aedes aegypti, como vasilhas, tampas, pneus, garrafas, vasos de plantas. Quando esses criadouros são detectados, os agentes utilizam um produto químico chamado piriproxifeno, que serve de inibidor de crescimento, impedindo que a pupa cresça e se transforme em um mosquito adulto.

As vistorias são feitas apenas nos quintais das pessoas, verificando se há objetos que podem servir de criadouros do mosquito Aedes aegypti, como vasilhas, tampas, pneus, garrafas, vasos de plantas. Quando esses criadouros são detectados, os agentes utilizam um produto químico chamado piriproxifeno, que serve de inibidor de crescimento, impedindo que a pupa cresça e se transforme em um mosquito adulto.

Conforme Alessandra Carvalho, Cuiabá tem mais de 261,5 mil imóveis (terrenos, casas, condomínios) e cada agente é responsável por uma média de 800 a 1 mil imóveis, que deve vistoriar em até 45 dias. Cada agente visita cerca de 30 imóveis por dia, 15 em cada período. De janeiro a junho deste ano, já foram realizadas aproximadamente 449 mil visitas.

Com o déficit de servidores, a Coordenação de Zoonoses conta com a conscientização e participação das pessoas no combate à dengue, à zika e à chikungunya. Alessandra Carvalho explica que como o tempo que o Aedes aegypti leva para virar de ovo a mosquito adulto é de uma semana, essa deve ser a periodicidade com que a população deve fazer a limpeza de seus quintais, eliminando possíveis criadouros, lavando e vedando os reservatórios de água, limpando vasos de plantas e bebedouros de animais, jogando fora entulhos que possam acumular água parada.

“Dez minutinhos são suficientes para vistoriar o quintal de casa e remover os criadouros, Tirando dez minutos por semana para tomar esses cuidados, a pessoa estará se prevenindo dessas três doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti, principalmente nesse período de seca, em que os cuiabanos gostam muito de tomar banho, utilizam mais água”, explica Carvalho, que acrescenta que o perigo de contrair as doenças existe o ano inteiro, pois o ovo do mosquito resiste até um ano sem contato com a água.


Fonte: Assessoria SMS da Prefeitura de Cuiabá MT


Médicos voluntários do Projeto Missão Covid atendem pessoas com suspeita da doença ou com dúvidas sobre o novo coronavírus. 


Postar um comentário

0 Comentários