Redes Sociais

Header Ads

Confira quem são os cristãos que podem ser nomeados para o STF

André Luiz Mendonça é ministro da Justiça e cotado ao STF . —  Foto/Reprodução.

Confira quem são os cristãos que podem ser nomeados para o STF
Publicado no Conexão Notícia em 23.set.2020.   

Brasil | Após a nomeação de André Luiz de Almeida Mendonça para o Ministério da Justiça em abril, o advogado ficou um pouco mais distante de uma eventual nomeação para o Supremo Tribunal Federal (STF), apesar de seu nome continuar forte.

Outro que tem despontado é o procurador-geral da República, Augusto Aras. O próprio presidente Jair Bolsonaro já afirmou, em maio, da intenção de indicar Aras. Na época ele falou sobre uma eventual terceira vaga.

– Se aparecer uma terceira vaga, espero que ninguém desapareça, mas o Augusto Aras entra fortemente na terceira vaga – afirmou Bolsonaro.

Ele terá, até 2022, a possibilidade de nomear dois ministros para a Corte, segundo o calendário de aposentadorias dos ministros. Bolsonaro prometeu indicar um ministro “terrivelmente evangélico” para o cargo durante um discurso na Câmara dos Deputados no ano passado.

Confira abaixo esses e outros nomes possíveis.

MARCELO BRETAS
O juiz Marcelo Bretas é evangélico e já demonstrou várias vezes sua fé. Em abril deste ano, ele chegou a compartilhar a música Força, da cantora Bruna Karla, nas redes sociais. Bretas passou a infância e juventude na Assembleia de Deus e atualmente congrega com a família na Comunidade Internacional Evangélica da Zona Sul, no Rio de Janeiro. O trabalho dele ganhou destaque na mídia por sua atuação em processos da Lava Jato.

HUMBERTO MARTINS
O nome de Humberto Martins está entre os que podem ser indicados ao STF. Ele é vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e corregedor nacional de Justiça. Martins é membro da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

ANDRÉ LUIZ MENDONÇA
Ministro da Justiça, o advogado André Luiz de Almeida Mendonça também estaria sendo considerado para a vaga no STF. Mendonça ainda teria apoio de parte da bancada evangélica no Congresso. Ele é mestre em Corrupção e Estado de Direito pela Universidade de Salamanca, na Espanha. Mendonça é pastor da Igreja Presbiteriana Esperança de Brasília.

AUGUSTO ARAS
O procurador-geral da República, Antônio Augusto Brandão de Aras, nasceu em Salvador e é professor da UnB (Universidade de Brasília) e da Escola Superior do Ministério Público da União. Ingressou no Ministério Público Federal em 1987 e em 2011 foi subprocurador-geral da República. Ele é católico.

Aras disse, durante sua sabatina para a PGR, que quando o STF analisa e se manifesta sobre temas como criminalização da homofobia, casamento homoafetivo e descriminalização de drogas, “é preciso saber em que nível está operando o Supremo, se está no nível da interpretação, se está no nível da mutação ou se está usurpando as competências do Senado e da Câmara Federal”.

WILLIAM DOUGLAS
William Douglas Resinente dos Santos é juiz federal da 4ª Vara Federal de Niterói, no Rio de Janeiro, sendo o mais antigo do TRF2. É professor universitário e acadêmico em Direito. Além de ser bacharel, ele também possui pós-graduação em Políticas Públicas e Governo e mestrado em Estado e Cidadania. Já exerceu as atividades de advogado, delegado de polícia e defensor público. O magistrado também é escritor e já escreveu mais de 50 livros, com mais de 1,2 milhão de cópias vendidas. Entre eles estão os best sellers As 25 Leis Bíblicas do Sucesso, Como Passar em Provas e Concursos e Os 10 Mandamentos para Uma Vida Melhor.


Douglas também já recebeu diversos prêmios por suas contribuições à sociedade, sendo quatro medalhas militares, três prêmios pelo trabalho de inclusão social e racial e várias medalhas civis. É um dos autores da proposta de criação dos Juizados Especiais Federais, de 1994. Entre seus trabalhos com preocupação social mais emblemáticos estão a Missão Vida, que recupera pessoas em situação de rua; a Educafro, pela inclusão racial e social; o Coletivo Justiça Negra Luiz Gama e o Projeto Cristolândia, da CBB, do qual foi coordenador de empreendedorismo.

IVES GANDRA FILHO
O ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST) Ives Gandra Filho é mais um dos profissionais que podem ser indicados ao STF. Ele é doutor em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e doutor honoris causa em Filosofia pela Academia Brasileira de Filosofia. Gandra Filho atua como ministro do TST desde 1999. Ele foi presidente da instituição entre 2016 e 2018. Assim como Moro, Gandra Filho é católico.

MARCOS PEREIRA
O nome de Marcos Pereira entrou na lista dos cristãos que podem ser indicados à vaga no ano passado. Ele é advogado, formado pela Universidade Paulista e especialista em Direito e Processo Penal pela Faculdade de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Atualmente, Pereira exerce a função de deputado federal e é o 1º vice-presidente da Câmara dos Deputados. Ele é bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus.

Foto: Folhapress/Fátima Meira
Pleno News





Postar um comentário

0 Comentários