Redes Sociais

Header Ads

Agência de checagem Aos Fatos é processada por Notícias Falsas.

 Procurador da República acusa a Agência de checagem Aos Fatos violação de violar os seus direitos fundamentais—  Foto/Reprodução.

Fake News: Agência de checagem Aos Fatos é processada por Notícias Falsas
Publicado no Conexão Notícia em 14.nov.2020.  

Brasil  |  Na manhã de quarta-feira (11), o procurador da República, Ailton Benedito, informou que está processando a agência de checagem Aos Fatos.

Ele foi apontado pelo site de fact-checking como um dos principais propagadores de conteúdo sobre cloroquina.

Segundo a agência, que alega ter coletado uma quantidade de 390 tweets para análise, os influenciadores que mais falaram sobre cloroquina no Twitter foram Arthur Weintraub, Ailton Benedito, Davy Albuquerque (outro colunista do Conexão Política) e o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

Ailton Benedito, Procurador da República —  Foto/Reprodução.

O título da publicação diz: “Apoio à cloroquina engaja mais no Twitter sustentado em desinformação”.

Direitos violados

Ailton Benedito diz ter acionado a Justiça “em consequência de violação a meus direitos fundamentais”.

Leia o texto na íntegra:

INFORMAÇÃO. Estou processando judicialmente @aosfatos, autodeclarada ‘agência de checagem de fatos’, em consequência de violação a meus direitos fundamentais. Então, @aosfatos, vai checar e rotular este tweet de #FakeNews ou desinformação? Segundo garantem a Constituição Federal e as leis brasileiras. Nos Juizados Especiais (Lei 9.099), não precisa de advogado. 


É o que devem fazer todas as vítimas que sofrem violações a seus direitos fundamentais praticadas por autodeclaradas “agências de checagem de fatos. Brasileiro que sofre ameaça ou lesão a direitos fundamentais, inclusive perpetrados por jornalistas, rádios, jornais, revistas, TVs e suas autodeclaradas ‘agências de checagem de fatos’, pode buscar a tutela do Poder Judiciário, nos termos da Constituição, artigo 5º, inciso XXXV. Cumpre-me, honrosamente, sempre buscar esclarecer os cidadãos sobre os seus direitos fundamentais, entre os quais: defender-se de ameaça ou lesão a direitos mediante a prestação jurisdicional do Estado. É assim, enquanto o Brasil for Estado Democrático de Direito, escreveu.

O Conexão Política entrou em contato com agência Aos Fatos, que respondeu minutos após o fechamento desta matéria.

Segue a nota:

Aos Fatos segue sua missão de checar declarações e boatos nas redes, amparado nos direitos constitucionais da liberdade de imprensa e da liberdade de expressão. Conforme os melhores parâmetros éticos, publicamos fatos verificados meticulosamente, damos espaço à divergência, ouvimos o outro lado, mas não admitimos ameaças contra o exercício do jornalismo. Repudiamos qualquer tentativa de cercear nossas atividades e de quaisquer jornalistas que tenham compromisso com a verdade factual.

Justificou Tai Nalon, diretora executiva do Aos Fatos.

Conexão Política, Raul Holderf Nascimento 

Conteúdo relacionado:


Postar um comentário

0 Comentários