Header Ads


Quais as próximas vacinas contra covid que devem ser lançadas

  Novavax e CureVac já estão apresentando documento de seus imunizantes junto às agências europeia e britânica. —  Foto/Reprodução.

Quais as próximas vacinas contra covid que devem ser lançadas
Publicado no Conexão Notícia em 02.abril.2021.  

Brasil Dez tipos de vacina contra covid-19 já estão sendo aplicadas ao redor do mundo desde meados de 2020, mas ainda é necessário muito mais. E novos imunizantes estão próximos de serem registrados.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) tem listadas 134 vacinas que estão em fase de testes em humanos, mas a grande maioria ainda em estágio inicial (fase 1 ou 2).

Das que estão em fase 3 (pré-registro), a da norte-americana Novavax e a da alemã CureVac caminham para ter resultados suficientes para um pedido de registro em breve.

Novavax
Vacina da norte-americana Novavax é baseada em subunidade proteica do coronavírus.

A empresa de biotecnologia dos Estados Unidos Novavax teve resultados animadores na fase 3 de testes, no Reino Unido e África do Sul, da vacina desenvolvida por ela (chamada de NVX-CoV2373.

No fim de janeiro, a companhia divulgou que o imunizante teve eficácia média de 89,3% no Reino Unido, onde participaram dos testes mais de 15 mil voluntários entre 18 e 84 anos.

A proteção conferida pela vacina contra cepas originais causadoras da covid-19 foi de 95,6%. No entanto, quando analisada apenas a variante B.1.1.7, que predomina no Reino Unido, foi de 85,6%.

Na África do Sul, a eficácia foi de 60%, em um estudo envolvendo cerca de 4.400 participantes. Um dos motivos para o desempenho menor da vacina pode ser a variante do coronavírus que predomina naquele país.

O risco reduzido de 60% contra a covid-19 em indivíduos vacinados na África do Sul ressalta o valor desta vacina para prevenir a doença da variante altamente preocupante que circula atualmente na África do Sul e que está se espalhando globalmente.

Disse em comunicado o professor Shabir Maddi, diretor-executivo da Unidade de Pesquisa Analítica de Vacinas e Doenças Infecciosas, em Wits, e investigador principal no ensaio da vacina da Novavax na África do Sul.

A Novavax ainda conduz estudos adicionais nos Estados Unidos e México, com aproximadamente 30 mil voluntários, para obter mais dados sobre o comportamento da vacina em diferentes países.

Todavia, desde janeiro, a empresa já iniciou a submissão contínua de documentos junto ao MHRA (agência reguladora de medicamentos do Reino Unido) com objetivo de facilitar o registro do imunizante.

A vacina da Novavax utiliza a tecnologia de subunidade proteica, que envolve pedaços purificados do coronavírus especialmente selecionados por sua capacidade de estimular células imunes — neste caso, a proteína spike, localizada na coroa do vírus e que é por onde ele se conecta aos receptores humanos.


CureVac

  Vacina da CureVac está sendo testada na Europa e na América Latina. YVES HERMAN/REUTERS —  Foto/Reprodução.


A vacina desenvolvida pela biofarmacêutica alemã CureVac começou as fases 2b e 3, simultaneamente, em dezembro de 2020. Em fevereiro, a empresa iniciou o processo de submissão contínua da documentação da vacina junto à EMA (Agência Europeia de Medicamentos).

O imunizante utiliza a mesma tecnologia já em uso nas vacinas Pfizer/BioNTech e Moderna: o RNAm (ácido ribonucleico mensageiro).

Os resultados da fase 1 e 2a mostraram que a vacina CVnCoV tem boa tolerância em humanos, além de induzir "fortes respostas de anticorpos" e "indicação de ativação de células T [importantes para imunidade duradoura]".

Ainda não foram publicados dados preliminares sobre a eficácia da vacina da CureVac, que está sendo testada na Europa e na América Latina (Peru e Panamá).

Em janeiro deste ano, a CureVac firmou parceria com a gigante farmacêutica Bayer para produção de sua vacina. Também fechou uma parceria com a britânica GSK (GlaxoSmithKline) para o desenvolvimento de vacinas multivalentes de próxima geração baseadas em RNA mensageiro.

A empresa também assinou um acordo com a farmacêutica suíça Novartis para fabricação dos insumos da CVnCoV já a partir do segundo trimestre deste ano.

A Novartis planeja produzir até 50 milhões de doses do mRNA e do medicamento a granel para a vacina CureVac em 2021 e mais 200 milhões de doses em 2022. O medicamento a granel será então entregue ao CureVac para posterior processamento e envase, diz uma nota da farmacêutica.

SAÚDE | Do R7



Câmara reajusta em mais de 170% valor de reembolso de gastos com saúde de deputados

  Arthur Lira afirmou que o reajuste não criará ônus adicional para a Câmara. —  Foto/Reprodução/Pablo Valadares/Câmara dos Deputados.

A Câmara dos Deputados reajustou o valor total destinado a reembolsos de gastos com saúde dos parlamentares. Agora, a Casa destinará R$ 135,4 mil para esta finalidade. O valor anterior era de R$ 50 mil, o que configura um aumento de 170,8%.

A mudança foi publicada na segunda-feira (29) em edição extra do Diário Oficial da Câmara dos Deputados e foi assinada pelo presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), líder do centrão apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro. Leia a matéria completa, aqui!

Acompanhe as notícias do CN - Conexão Notícia no Facebook

Veja outras formas de doações, aqui!


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.