Redes Sociais

Header Ads

Lava Jato prende ex-presidente da Alerj por fraudes na saúde no RJ.

  Paulo Melo voltou a ser preso nesta quinta (14). —  Foto/Reprodução/WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO.


Lava Jato prende ex-presidente da Alerj por fraudes na saúde no RJ.
Fonte:   Melodia News, MARCIA PINHEIRO —  Publicado no CN - Conexão Notícia em 14.maio.2020.   

Coronavírus Ação da Polícia Federal mira grupo que obtinha vantagens em contratos milionários, inclusive em licitações realizadas durante a pandemia de covid-19.

Há indícios de fraude nas compras para os hospitais de campanha da Covid-19.

Policiais federais cumprem hoje (14) cinco mandados de prisão e 25 de busca e apreensão em uma investigação sobre desvios de R$ 3,95 milhões em recursos públicos na área da saúde, no Rio de Janeiro. Entre os presos estão o ex-deputado estadual Paulo Melo e o empresário Mário Peixoto.

Peixoto e Melo foram presos, segundo as investigações, porque surgiram indícios de fraude nas compras para os hospitais de campanha da Covid-19.

O parlamentar, ex-presidente da Alerj, já tinha sido preso em uma etapa anterior da força-tarefa.

Peixoto, preso em Angra dos Reis, é dono de empresas que celebraram diversos contratos com os governos estadual -- desde a gestão de Sérgio Cabral -- e federal.

A operação é feita em parceria com o Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ).

Segundo o MPRJ, os valores foram repassados a uma organização social (OS) pela Secretaria de Estado de Saúde do Rio, para a administração de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Veja também:
Esquecidos: Agentes de Saúde são peças fundamentais no combate ao Coronavírus
Auxílio Emergencial: Líder do Governo avisa sobre a possibilidade de prorrogação
Pernambuco: Área da saúde lidera nas denúncias de trabalho no MPT-PE
Câmara aprova destinar R$ 9 bi de fundo extinto para o combate à Covid-19
PE restringe circulação de pessoas e implanta rodízio de veículos em 5 cidades
Senadores querem pensão especial para profissionais que atuam contra covid-19
COVARDIA: Agente de saúde é derrubada da moto, agredida e ameaçada 
Em depoimento, Valeixo diz que Bolsonaro nunca pediu acesso a investigações
Agente de saúde de Lambari contraiu covid-19 e contaminou 8 pessoas Publicado
Crivella diz que vai analisar relatório da Fiocruz que recomenda lockdown
Ceará registra 5 mortes de enfermeiros e tem 2º maior número de infectados no NE
Governador do Piauí analisa reabertura parcial do comércio

De acordo com as investigações, a organização social recebeu, desde 2012, pelo menos R$ 763 milhões do Fundo Estadual de Saúde do Rio de Janeiro para a gestão das UPAs.

Os valores repassados à empresa responsável pelo fornecimento de alimentação às unidades de saúde eram superfaturados, o que beneficiava os alvos da operação de hoje.

Um ex-presidente da OS é apontado como o chefe da organização e, segundo o MPRJ, contou com a ajuda de dois subordinados e dos responsáveis pela empresa fornecedora de alimentação às unidades de saúde e de outra empresa, fornecedora de insumos hospitalares, para articular o esquema criminoso.

Os mandados de prisão e de busca e apreensão foram expedidos pela 3ª Vara Criminal de Duque de Caxias. 

Postar um comentário

0 Comentários