Redes Sociais

Header Ads

Médicos do Ceará denunciam pressão para atestarem mortes como Covid-19 e sindicato aciona o Ministério Público

  A exigência tem a finalidade de aumentar a estatística do número de óbito por Covid-19. —  Foto/Reprodução.


Médicos do Ceará denunciam pressão para atestarem mortes como Covid-19 e sindicato aciona o Ministério Público
Fonte:  Sindmedce —  Publicado no CN - Conexão Notícia em 15.maio.2020.   

COVID-19 - Em seu contínuo trabalho de monitoração das informações sobre a crise do coronavírus (COVID-19) e suas consequências, o Sindicato dos Médicos do Ceará vem recebendo denúncias de que os profissionais estariam sendo pressionados a atestarem o resultado dos óbitos como “suspeita de COVID-19”, sem que se façam quaisquer exames mais precisos. Diante da gravidade da situação, a entidade apresentou um Pedido de Providência, nesta quarta-feira (13), à Promotoria de Justiça da Saúde Pública do Ministério Público Estadual do Ceará, com objetivo de investigar as informações.

No documento enviado à Promotoria, a entidade se coloca à disposição para quaisquer esclarecimentos, auxílios, ou atos que se façam necessários. O Sindicato também solicita que o Ministério Público providencie a criação de um canal de comunicação específico aos médicos, com ampla divulgação, para que os profissionais que supostamente tenham vivenciado a referida situação possam realizar denúncias de forma virtual, por videoconferência, ou pessoalmente ao MP, podendo ainda entregar provas materiais (se houver), bem como solicitar sigilo se entenderem necessário.

Veja também:
Crítica de Rodrigo Bocardi à cobertura da Globo sobre Covid-19 viraliza 
CORONAVÍRUS: Brasil tem 31,7 mil profissionais de saúde infectados pela Covid-19 
Assistentes sociais comemoram seu dia atuando na retaguarda de combate ao covid-19
Teich deixa o Ministério da Saúde antes de completar um mês no cargo
Trump ‘não está interessado’ em reabrir negociações comerciais com a China
Covid-19: China suspende importação de carnes de quatro empresas da Austrália 
66% dos hospitalizados em Nova York estavam confinados, diz Andrew Cuomo
Amazonas: profissionais de saúde estão impedidos de trabalhar por causa da burocracia
Passa de 1,5 milhão o número de curados de Covid-19 em todo o mundo
Lava Jato prende ex-presidente da Alerj por fraudes na saúde no RJ

Segundo as informações recebidas pelo Sindicato, o “modus operandi” da prática delitiva das ameaças variam em sua forma, sendo o cometimento de algumas de forma explícita e outras veladas. “Infelizmente, a realidade que vem se apresentando não se trata de exclusividade do nosso Estado, pois não é raro encontrar notícias de que a mesma situação está ocorrendo em diversos lugares do nosso país. A ordem é de que os médicos atestem o óbito no local com a causa ‘suspeita de Covid-19’, sem que tenha havido qualquer exame mais elaborado, ou seja, sem adotar o protocolo internacional durante epidemias e recomendações da Organização Mundial da Saúde e do próprio Ministério da Saúde”, explica Dr. Edmar Fernandes, presidente do Sindicato.

A ação da entidade também foi impulsionada pela atual discussão na esfera política-midiática, com representantes públicos e profissionais médicos, sobre a possível existência de “fake news” a respeito do assunto. Portanto, a iniciativa do Sindicato pretende esclarecer os fatos e, prioritariamente, proteger e defender os profissionais da Saúde e a Medicina de qualidade.

Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará



Médicos voluntários do Projeto Missão Covid atendem pessoas com suspeita da doença ou com dúvidas sobre o novo coronavírus. 





Postar um comentário

0 Comentários