Redes Sociais

Header Ads

Peru entra em alerta após caso de difteria em meio à pandemia

 Agentes de saúde escoltados vacinaram moradores do bairro onde caso apareceu.  —  Foto/Reprodução.

Peru entra em alerta após caso de difteria em meio à pandemia
Publicado no Conexão Notícia em 30.out.2020.  

Agentes de Saúde  O governo lançou na quarta-feira (28) uma campanha de vacinação contra a doença nas proximidades do local onde ocorreu o caso, em Lima.

O Peru relatou seu primeiro caso de difteria após 20 anos no país andino, em um momento em que a cobertura vacinal principalmente para crianças diminuiu devido à crise de saúde desencadeada pelo coronavírus, disse o Governo.

Brigadas de médicos e enfermeiras, protegidas por militares e policiais armados com rifles, lançaram nesta quarta-feira (28), uma campanha de vacinação contra a doença nas proximidades do local onde ocorreu o caso, um bairro pobre de um bairro de Lima.

O vice-ministro da Saúde Pública, Luis Suárez, informou que se trata de uma menina de cinco anos e o governo acionou um alerta epidemiológico nacional em busca de detectar mais casos para tomar medidas de prevenção e controle da doença.

A difteria, bactéria que afeta o trato respiratório, é contraída por contágio por meio das secreções de pessoas infectadas e em casos graves tem “uma mortalidade que pode ultrapassar 10%”, disse Suárez.


O diretor geral da rede Lima do Ministério da Saúde, Alfredo Centurión, informou que cerca de 50 brigadas de profissionais de saúde começaram a mitigar a doença no distrito de La Victoria, onde reside a menina infectada.

A possibilidade de haver outros casos suspeitos da doença deve ser investigada e ações de vacinação também serão realizadas, disse na área.

O aparecimento da difteria ocorre em um momento em que o Peru tem mais de 892.000 casos de coronavírus com 34.200 mortes, o que gerou uma crise em seu caótico sistema hospitalar.

Queda na vacinação
As Nações Unidas alertaram em julho que as vacinas contra doenças perigosas como a difteria caíram de forma alarmante durante a pandemia, e três quartos de 82 países relataram interrupções em seus programas devido à falta de equipamentos para profissionais de saúde.

O vice-ministro Suárez disse que a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) alertou em 2019 sobre a presença de difteria em países da região como Brasil, Colômbia, Venezuela e Haiti; e a última vez que foi relatado no Peru foi em 2000.

Este ano, principalmente, o problema que tivemos em quase todo o continente latino-americano é a baixa cobertura vacinal, principalmente em crianças menores de um ano, que são aquelas que não receberam as vacinas correspondentes, disse Suárez. a imprensa na terça à noite.

O vice-ministro disse que neste contexto até ao momento este ano a cobertura de vacinas contra difteria e tétano está em 40%, quando deveria rondar os 70%.

Suárez afirmou que a menina acometida "está hospitalizada e estável, porém, devido ao conhecimento da gravidade da doença, está sob cuidados médicos".

Do R7, com Reuters
Foto: Reuters

Conteúdo relacionado:
 

Postar um comentário

0 Comentários