Novo escândalo na Globo: Ex-bailarina denuncia racismo no Domingão do Faustão - Conexão Notícia

Header Ads


Novo escândalo na Globo: Ex-bailarina denuncia racismo no Domingão do Faustão

   Carol Tozaki.  —  Foto/Reprodução.

Novo escândalo na Globo: Ex-bailarina denuncia racismo no Domingão do Faustão
Publicado no Conexão Notícia em 21.abril.2021.  

Brasil O inferno astral da Rede Globo parece não ter fim…

Como se não bastasse os escândalos, as polêmicas, demissões e a queda de 77% no lucro consolidado de 2020, a emissora prossegue vivendo dias de terror com acusações de assédio e racismo.

O caso envolvendo o suposto assédio do ex-diretor Marcius Melhem na humorista Dani Calabresa parece ter escancarado o que de pior acontece nos bastidores da emissora.

Porém, na última semana um novo escândalo veio à tona.

A modelo e ex-bailarina do Domingão do Faustão, Carol Tozaki, revelou que sofria racismo dentro do programa.

LEIA TAMBÉM:

Segundo Carol, havia preconceito na hora de escolher quem iria dançar.

Se um Martinho da Vila se apresentasse, a maioria das meninas que iam fazer a coreografia eram negras e de cabelo afro. Agora, se fosse um sertanejo tipo o Gusttavo Lima, as meninas que iriam para a coreografia eram de pele mais clara, de cabelo loiro e liso, disse.

Carol disse mais:

É muita objetificação do corpo da mulher, por mais que haja muito informações, existem concursos muito desatualizados. A mulher é mais do que um corpo bonito e magro. Os concursos de Miss prezam muito pela beleza. E nesse universo, as mulheres negras, que não têm os traços tão finos, cabelos afro, encaracolados, não são consideradas bonitas. E eu gostaria que isso parasse, porque todas as mulheres são bonitas, pediu.

Confesso que já me pediram para alisar o cabelo em uma apresentação. Não aceitei, completou a modelo.

Defensora de campanhas contra o racismo e a favor da inclusão, ao que parece, a Globo não vivencia o que supostamente defende.

O episódio é - nada mais, nada menos - do que o feitiço se voltando contra o feiticeiro.

 Jornal da Cidade Online



5 lições que “A Revolução dos Bichos” nos ensinou

   A fábula distópica de George Orwell, autor de 1984, é uma aula sobre o início do século 20.  —  Foto/Reprodução.

Em 17 de agosto de 1945 a obra a A Revolução dos Bichos ("Animal Farm") era publicada na Inglaterra. Na fábula distópica de George Orwell, autor do também clássico 1984, um grupo de animais revolucionários toma o poder dos donos humanos de uma fazenda e organiza um regime supostamente igualitário e justo no local. O aparente equilíbrio é ameaçado por uma dupla de porcos ditadores. BRUNO VAIANO*

Acompanhe as notícias do CN - Conexão Notícia no Facebook

Veja outras formas de doações, aqui!


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.