Header Ads


Biden fez recorde de ações contrário a vida, família e liberdade religiosa, diz relatório

   Joe Biden, presidente dos Estados Unidos.  —  Foto/Reprodução.

Biden fez recorde de ações contrário a vida, família e liberdade religiosa, diz relatório
Publicado no Conexão Notícia em 04.maio.2021.  

Gospel Relatório do Conselho de Pesquisa da Família detalha 62 ações executivas totais, incluindo 40 ordens executivas, feitas nos primeiros 100 dias de Biden.

O Conselho de Pesquisa da Família (Family Research Council, em inglês) lançou na última sexta-feira (23) um relatório sobre as ações tomadas pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, em seus primeiros 100 dias de governo.

A análise da plataforma “Tracking the Biden Administration” (“Rastreando o Governo Biden”, em português) detalha 62 ações, incluindo 40 ordens executivas feitas pelo presidente americano, incluindo 32 que prejudicam a vida, a família e a liberdade religiosa.


De acordo com o presidente da Family Research Council (FRC), Tony Perkins, o apelo de Biden por “unidade e cura” no primeiro dia de sua presidência não passou de “um desvio retórico”, já que suas políticas podem inclinar a América “à esquerda em proporções históricas”.

Como mostra o nosso relatório, o presidente Biden avançou em um ritmo recorde para promulgar uma agenda anti-família de extrema esquerda. Os troféus Biden de sua corrida de 100 dias incluem o retorno às políticas pró-aborto de Barack Obama, obrigando os contribuintes a voltarem a uma parceria com a indústria do aborto, tanto em casa quanto no exterior, critica Perkins.


Segundo dados atualizados pela FRC, mais de US$ 479 bilhões dos fundos de contribuintes americanos estão sendo usados para financiar abortos e clínicas de abortos sob a gestão Biden.

Ele deixou claro que não dá valor à dignidade inerente à vida humana. Suas ações negam a verdade de que toda vida humana, nascida e não nascida, possui dignidade inerente e merece ser tratado com respeito, afirma Perkins.

Liberdade ameaçada

Perkins também alerta para a falta de proteção às pessoas e organizações religiosas diante da “afirmação uniforme da ideologia transgênero” e promoção da agenda LGBT. 

Aqueles que defendem a realidade biológica e as doutrinas das principais religiões do mundo estão sendo colocados em posição de violar suas consciências ou serem tratados pelo governo como cidadãos de segunda classe, ele opina.

A FRC também chama a atenção para as nomeações feitas no governo Biden, que montou um dos gabinetes mais pró-aborto da história dos EUA. 

Esses funcionários terão a tarefa de implementar a agenda liberal radical de Biden e fazer cumprir as leis federais, diz a organização.

Travis Weber, vice-presidente de Política e Assuntos Governamentais do FRC, acrescentou

As palavras do presidente Biden não combinam com suas ações. Seu argumento de unidade soa vazio, já que os primeiros 100 dias de Biden no cargo foram marcados por ações radicais, agressivas, anti-vida, anti-família e anti-liberdade que dividiram ainda mais nossa nação. 

“Como mostra este relatório, o contraste entre os governos Trump e Biden não poderia ser mais gritante”, concluiu Perkins.

 Foto: Tom Brenner/Reuters.28/04/2021 
Guiame/ Com informações do Family Research Council - 




Após decisão do STF sobre cultos, cristãos pedem audiência na OEA

   Fachada norte da sede da Organização dos Estados Americanos (OEA), em Washington, nos Estados Unidos.  —  Foto/Reprodução.

Juristas e parlamentares cristãos (católicos e evangélicos) protocolaram um pedido de audiência na Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) – órgão autônomo da Organização dos Estados Americanos (OEA) – para discutir a liberdade religiosa no Brasil durante a pandemia da Covid-19. Leia a matéria completa, aqui!

Acompanhe as notícias do CN - Conexão Notícia no Facebook

Veja outras formas de doações, aqui!


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.