Redes Sociais

Header Ads

Governador do RJ é denunciado à Organização Mundial da Saúde (OMS) por decreto de flexibilização da quarentena em suposto "pleno pico da pandemia."

 Governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. —  Foto/Reprodução.  


Governador do RJ é denunciado à Organização Mundial da Saúde (OMS) por decreto de flexibilização da quarentena em suposto "pleno pico da pandemia."
Fonte: Diário de Petrópolis —  Publicado no  CN em 11.jun.2020.   

Coronavírus — O não-cumprimento das recomendações da Organização Mundial de Saúde, somado às denúncias de corrupção na compra de respiradores e na construção de hospitais de campanha, são algumas das informações que constam da denúncia que a deputada Estadual e presidenta da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania (CDDHC) da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), Renata Souza, enviou à Organização Mundial de Saúde (OMS), na quarta-feira (10).

O objetivo da denúncia, segundo o documento, é "trazer ao conhecimento da OMS e das Nações Unidas a situação preocupante do estado do Rio de Janeiro e a ação pouco responsável de seu governador, que resultará em um número ainda maior de pessoas contaminadas e mortas pela COVID- 19". 

Renata Souza destaca a gravidade das denúncias contra Witzel e sua gestão: "A Polícia Federal, com autorização do STF, iniciou uma operação contra o governador e outros gestores da saúde pública para buscar evidências de surpefaturamento em contratos envolvendo a compra de respiradores e a construção de hospitais de campanha. A sólida evidência de corrupção nos contratos de tal relevância no momento em que vivemos uma pandemia levou vários setores a exigir o impeachment do governador. Inclusive, a base de apoio do presidente da República, que há muito pressionava o governo do estado a relaxar as medidas restritivas adotadas para combater a Covid-19. O que acabou acontecendo, efetivamente, esta semana. Por isso, o denunciamos. Afinal, a vida das pessoas não pode ser colocada em risco por pressão política", explica a deputada.

VEJA TAMBÉM:
Homem invade sede da Rede Globo, no Rio de Janeiro, e faz repórter refém
Agente de saúde da Ilha de Itamaracá testa positivo para coronavírus e vence a luta
Supremo decidirá hoje sobre inquérito “ilegal” e “inconstitucional”
+“Antifascista” perde emprego ao ser visto em protestos violentos na paulista
Senador protocola pedido de impeachment contra Alexandre de Moraes
Google oferece 5 mil reais pra quem fica em home office 
Nova Zelândia tem abraços, compras e mãos dadas: desconfinamento
Moraes quer provas de ação no TSE em inquérito das fake news
PF: Deflagrada Operação Para Bellum que investiga compra de respiradores no Pará
Recife vai contratar empresa por R$ 2 milhões para auxílio na aplicação de multas
Bailes funk voltam com força total no Rio após ‘ajuda’ do STF

Dias após estas denúncias, Witzel anunciou o relaxamento das medidas de restrição para impedir o avanço da Covid-19 no estado. O Rio de Janeiro registrava, até esta quarta-feira (10), 59.240 infectados e 6.010 mortes.

Segundo pesquisa científica realizada por especialistas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe / UFRJ e Faculdade de Medicina), o Estado do Rio de Janeiro atingirá o pico da epidemia de coronavírus a partir de meados de junho, com um total de 71 mil infectados. A conclusão do estudo é que não deve haver reabertura da economia neste momento, conforme foi determinado pelo governo do estado. Pelo contrário, medidas ainda mais restritivas, como o bloqueio, por exemplo, devem ser adotadas.



Médicos voluntários do Projeto Missão Covid atendem pessoas com suspeita da doença ou com dúvidas sobre o novo coronavírus. 





Postar um comentário

0 Comentários