Redes Sociais

Header Ads

Bailes funk voltam com força total no Rio após ‘ajuda’ do STF

  Baile do Egito, no Morro do Chapadão, na Zona Norte do Rio. —  Foto/Reprodução.  


Bailes funk voltam com força total no Rio após ‘ajuda’ do STF
Fonte:   Portal de Prefeitura, Francine Nascimento. —  Publicado no  CN em 09.jun.2020.   


 Justiça — Após o STF proibir operações policiais em comunidades no Rio, bailes funk voltam a acontecer causando aglomerações.

No último final de semana, as festas voltaram com força e se tornaram um dos assuntos mais comentados no Twitter.

Mesmo com a orientação de isolamento social, os bailes funk mais frequentados em algumas comunidades do Rio de Janeiro voltaram “com força” no último final de semana. O retorno das festas ocorre após o Supremo Tribunal Federal (STF) mandar suspender as operações policiais nas favelas durante a pandemia do coronavírus.

VEJA TAMBÉM:
Ministro Fachin determina suspensão de operações policiais em comunidades do RJ 
Ex-prefeito de São Paulo de Olivença é condenado a devolver mais de R$ 37 milhões 
Prefeitura alerta sobre golpe com falsos servidores de saúde em Manaus
Vítimas de violência doméstica poderão fazer denúncia em farmácias 
OMS esclarece que assintomáticos podem transmitir covid-19
OMS: transmissão de covid-19 a partir de assintomáticos é “muito rara” 
Brasil negocia para ser um dos produtores da vacina contra o coronavírus 
OMS recua e se desculpa por polêmicas sobre cloroquina
Deputado federal Paulinho da Força perde mandato após condenação à prisão 

Um famoso baile funk chamado de “Baile do Egito”, no Morro do Chapadão, na Zona Norte do Rio, só teve fim na manhã de ontem (8), causando aglomeração de pessoas no lugar.

A medida de isolamento determinada pelo governador Wilson Witzel e acatada pelo prefeito do Rio Marcelo Crivella  não inclui a não realização dos bailes funk. A presença dos policiais nos locais onde são realizadas as festas impediam que os eventos. Contudo, com a decisão do ministro Edson Fachin do STF, organizadores das festas se sentiram “à vontade” para fazê-las.





Médicos voluntários do Projeto Missão Covid atendem pessoas com suspeita da doença ou com dúvidas sobre o novo coronavírus. 





Postar um comentário

0 Comentários