Redes Sociais

Header Ads

Paraná: Governo quer testar vacina russa em 10 mil paranaenses

A Secretaria de Estado da Saúde projeta começar a testar a vacina em outubro.  —  Foto/Reprodução.

Paraná: Governo quer testar vacina russa em 10 mil paranaenses
Publicado no Conexão Notícia em 29.ago.2020.  

Brasil | A Secretaria de Estado da Saúde projeta começar a testar em 45 dias, ou seja, em meados de outubro, a vacina russa desenvolvida para combater o coronavírus, agente causador da Covid-19. O plano foi anunciado nesta quinta-feira (27), com a garantia de que o início dos testes irá depender de uma autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Também hoje, o Estado teve confirmados 1.815 novos casos e 52 novos óbitos. 

O chefe da Casa Civil, Guto Silva, e o diretor-presidente do Tecpar (Instituto de Tecnologia do Paraná), Jorge Callado, fizeram esse anúncio após participarem, em Brasília, de reuniões com representantes da Anvisa e da Embaixada Russa no Brasil para agilizar o processo de aprovação dos testes pelos órgãos regulatórios nacionais.

"Nossa prioridade, agora, é aprovar os estudos clínicos no Brasil. Este é o primeiro passo para a entrada da vacina no País e estamos trabalhando nisso com muito cuidado, transparência e dentro de todos os parâmetros científicos exigidos", afirmou o chefe da Casa Civil.

INFORMAÇÕES

De acordo com o presidente do Tecpar, o laboratório russo já enviou informações sobre a vacina, que estão protegidas pelo termo de confidencialidade assinado entre as partes ."Todas essas informações serão submetidas à Comissão Nacional de Ética em Pesquisa e à Anvisa", garantiu Callado

Caso as avaliações e aprovações aconteçam dentro do prazo esperado, Callado acredita que o Paraná poderá começar a testagem inicialmente com 10 mil voluntários, mas o número final só será definido após a conclusão do protocolo de validação.


ENTENDIMENTO

As conversas com a Rússia para uma parceria nos estudos e produção da vacina começaram no final de julho. Em 12 de agosto, o Governo do Paraná firmou um memorando de entendimento com o Fundo de Investimento Direto da Rússia para ampliar a cooperação técnica sobre a vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelo Instituto Gamaleya.

VEJA TAMBÉM: 
OMS não visita Wuhan e põe em xeque investigação sobre origem da pandemia
Pazuello deve permanecer por tempo indeterminado no Ministério da Saúde
6 governadores do Rio foram afastados ou presos nos últimos 4 anos
Falso Negativo: STJ mantém prisão de Secretário de Saúde  de Brasília
Pastor Everaldo, presidente do PSC, é preso pela Polícia Federal no Rio de Janeiro
Auxílio Emergencial: Coronavoucher foi único sustento de 4,4 milhões de lares em julho
2,9 milhões cancelam adesão e sindicatos perdem força
O CRIME E A QUEDA - Flordelis: uma tragédia brasileira 
SC: Governo garante R$ 20 milhões para os consórcios intermunicipais de Saúde
Alerta: Após escova progressiva, jovem tem parada respiratória e vai parar na UTI
Pesquisadores pedem sinal verde testar a vacina de Oxford em pessoas com mais de 69 

Na sequência, equipes do Tecpar e do Instituto Gamaleya assinaram o termo de confidencialidade, passaram a trocar informações e a desenvolver o protocolo de validação, a primeira etapa de todo o processo. As etapas seguintes incluem a organização e início dos testes, o registro e a produção da vacina no Paraná.

Para coordenar as atividades de pesquisa da vacina o governador Carlos Massa Ratinho Junior instituiu o Comitê Técnico Interinstitucional de Cooperação para Pesquisa, Desenvolvimento, Testagem, Fabricação e Distribuição de Vacina contra Sars-CoV-2 (Covid-19) - comitê coordenado pela Casa Civil. 

Governo do estado do Paraná
Foto: Divulgação Casa Civil




Médicos voluntários do Projeto Missão Covid atendem pessoas com suspeita da doença ou com dúvidas sobre o novo coronavírus. 


Postar um comentário

0 Comentários