Header Ads


Sem internet e com livros encontrados no lixo, pernambucano passa em universidade pública

   Davi Eduardo Ferreira de Brito, 20 anos.  —  Foto/Reprodução.

Sem internet e com livros encontrados no lixo, pernambucano passa em universidade pública
Publicado no Conexão Notícia em 27.abril.2021.  

Brasil Quais são as barreiras e limites para estudar? Para Davi Eduardo Ferreira de Brito, 20 anos, poucas coisas podem ficar entre ele e o seu sonho de ser professor.

O jovem de Recife (PE) conseguiu passar para o curso de geografia da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco), mesmo sem ter internet em casa e com o auxílio de livros encontrados no lixo.

Esta vitória não é só de Davi, mas de toda sua família, que vê o menino ser o primeiro a ingressar em uma universidade pública. De acordo com o jovem, seu objetivo é ressignificar em sua comunidade o que a escola pode representar para um garoto pobre.

 
   Davi estudará na UFPE, considerada uma das 15 melhores universidades do Brasil. Foto: reprodução/Instagram UPFE Ascom

Sempre quis ser professor. Gosto muito de transmitir o que aprendo. Quero ensinar para encorajar outros jovens, principalmente da minha comunidade, para estudarem.


Muitos não têm esperança de que com os estudos podem melhorar de vida. Encaram a escola como uma fuga da realidade, vão só para comer a merenda e passar o tempo, contou Davi ao Jornal do Commercio.

Porém, o jovem pernambucano ainda não está satisfeito! A vaga que ele conseguiu no curso de geografia da UFPE é para bacharelado e não licenciatura – especialização necessária para dar aula. Apesar disso, ele garante que vai tentar uma transferência interna para realizar seu sonho.

Davi continuará conciliando estudos e trabalho
Além das dificuldades impostas pela falta de internet em casa durante o ensino remoto do novo coronavírus, Davi precisou arrumar um emprego para ajudar a família. Atualmente, o jovem trabalha descarregando cargas para uma empresa de produtos de saúde.


Ainda que tenha passado para a faculdade de geografia, Davi continuará no emprego e buscará, de alguma forma, conciliar a nova rotina com o trabalho antigo. Segundo o jovem, um dos seus desejos após se formar é dar uma condição segura para sua família.

A mãe de Davi não trabalha, pois precisa cuidar de seus dois irmãos menores. Já o padrasto é motoboy e, ao lado de Davi, são as únicas formas de renda da casa.

É um orgulho imenso ver meu filho chegar onde chegou. Nunca pensei que isso pudesse acontecer, apesar de sempre incentivá-lo. […] Estamos felizes demais. Estamos abestalhados, já chorei e tudo, contou Claudia Feijó, mãe de Davi.

Quem aí duvida que Davi vai virar um grande professor e transmitir sua história de superação para jovens como ele! 💪👏

 POR LUCAS FERREIRA




Médica autista brasileira comparada ao The Good Doctor, comanda hospital em RO

   Médica autista superou bullying que sofreu na infância.  —  Foto/Reprodução/Ísis Capistrano.

Sim, nós temos o nosso doutor Shaun Murphy, da série The Good Doctor. E no caso brasileiro trata-se de uma mulher: Larissa Rodrigues de Assunção, uma médica autista que tem transformado positivamente a rotina de um dos hospitais de campanha de Porto Velho, em Rondônia.

Larissa tem 26 anos e assumiu este ano a gerência do Hospital de Campanha Zona Leste, montado no antigo Cero, Centro de Reabilitação de Rondônia.

Acompanhe as notícias do CN - Conexão Notícia no Facebook


Veja outras formas de doações, aqui!


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.