Header Ads

Ministro da Justiça: acusação de interferência de Bolsonaro na PF será arquivada.

  Ministro André Mendonça (Justiça e Segurança Pública) —  Foto/Reprodução/Sérgio Lima/Poder360


Ministro da Justiça: acusação de interferência de Bolsonaro na PF será arquivada
Fonte:  Blog do Silva Lima/Poder360   —  Publicado no CN - Conexão Notícia em 18.maio.2020.   

Justiça  O ministro André Mendonça (Justiça e Segurança Pública) afirma que será arquivado o inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF) que investiga se o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir indevidamente na Polícia Federal.

“Não há qualquer elemento indicativo de ilícito e temos total segurança que, em breve, esse inquérito será arquivado”, diz.

Mendonça deu a declaração ao jornalista Fernando Rodrigues, apresentador do Poder em Foco, uma parceria editorial entre o Poder360 e o SBT.

Questionado pelo apresentador sobre como tem tanta certeza do arquivamento da investigação, Mendonça respondeu:

“Pelo histórico que eu tenho com o presidente da República, em várias situações, ele sempre nos deu total liberdade; por acompanhar a um ano e meio a postura republicana dele no trato da coisa pública; por sempre cobrar de todos nós fazer o certo; por sempre cobrar dos órgãos policiais uma repressão e um combate efetivo à criminalidade; e por todo contexto que está no entorno da história do presidente da República, tenho total convicção que esse inquérito será arquivado”.

Veja também:
Cartas de encorajamento para profissionais de saúde
Amor e solidariedade! Médico de 82 anos atende pacientes de graça
Morto ‘acena’ em enterro após leitura de João 11: ‘Eu sou a ressurreição e a vida’
Um inimigo invisível: O que realmente é o fascismo 
Respiradores comprados pelo governo Witzel não servem para combater covid-19 
Rússia e França amplia uso da hidroxicloroquina no tratamento do coronavírus 
Mais de 84,9 mil brasileiros estão curados da Covid-19
Secretaria Especial da Cultura: Governo exonera secretário adjunto de Regina Duarte
Médicos do Ceará denunciam pressão para atestarem mortes como Covid-19 
Crítica de Rodrigo Bocardi à cobertura da Globo sobre Covid-19 viraliza 
CORONAVÍRUS: Brasil tem 31,7 mil profissionais de saúde infectados pela Covid-19 

A investigação contra Bolsonaro tem como base as acusações do ex-ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública). Ao deixar o cargo, Moro afirmou que o presidente pressionava para mudar o então diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, e o superintendente do órgão no Rio, Carlos Henrique Oliveira.

O objetivo de Bolsonaro, de acordo com Moro, era ter alguém de seu “contato pessoal” no comando da Polícia Federal para receber relatórios de investigações –e, assim, proteger familiares. O ex-ministro pede a divulgação da íntegra do vídeo de uma reunião interministerial realizada no dia 22 de abril deste ano, na qual o presidente supostamente cobrou a interferência.

Já Bolsonaro diz que queria uma qualidade melhor dos relatórios do Sistema Brasileiro de Inteligência (Sisbin), que agrupa uma série de órgãos de inteligência – um deles, a própria PF– e tem a função de mantê-lo informado. As outras cobranças feitas na reunião, de acordo com o presidente, são focadas em sua segurança pessoal e de seus familiares, uma atribuição do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) –e não da PF.



Médicos voluntários do Projeto Missão Covid atendem pessoas com suspeita da doença ou com dúvidas sobre o novo coronavírus. 





Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.