Redes Sociais

Header Ads

Igrejas e líderes religiosos pedem socorro financeiro devido à pandemia da Covid-19

  Com isolamento Templos e locais de cerimônia religiosa estão sem atividades. —  Foto/Reprodução.


Nelson Teich defende combate mais eficiente e rápido à covid-19 no país
Fonte:  WILL R. FILHO, GM —  Publicado no CN - Conexão Notícia em 08.maio.2020.

O encerramento das atividades em muitas igrejas evangélicas e de outros segmentos religiosos, como centros espíritas, provocou uma onda de dificuldades financeiras enfrentadas pelo segmento devido à pandemia da Covid-19.

Templos e locais de cerimônia religiosa são mantidos através das doações dos fiéis, o que dificulta a realização desse procedimento quando não há atividade sendo exercida.

Contas de energia, água, internet e limpeza, por exemplo, se acumularam ao longo da pandemia da Ccovid-19, além do sustento das pessoas que dependem da vida religiosa, como os líderes de várias religiões, que também foram prejudicados.

Pensando nisso, um grupo de líderes religiosos de várias igrejas decidiu se reunir na terça-feira (31/03), em Brasília, a fim de discutir propostas capazes de aliviar às consequências da pandemia no setor.

O encontro foi mediado pelo chefe da Unidade de Assuntos Religiosos (Unar), Kildare Meira, segundo informações do portal Metrópoles. Entre as ideias está o pedido de adiamento das contas públicas, tais como cobranças de energia e água, e também a liberação de um crédito especial.

Veja também:
Igreja abre o templo e ajuda população a tirar dúvidas sobre o auxílio emergencial
Orando os “Quatro Grandes Pontos” como Igreja
Ministro terá que pagar ‘multa’ por participar de estudos bíblicos na Casa Branca 
Megaigrejas ajudam financeiramente congregações e evitam fechamentos
Netanyahu é autorizado a ser primeiro-ministro de Israel
Alemanha permite cultos presenciais nas igrejas, mas proíbe fiéis de cantarem
Médico ora com equipe em Belém: “Não vamos recuar diante de doença nenhuma”
A crise do coronavírus é um treinamento para o fim dos tempos, diz pastor
Ministro de Israel anuncia 'avanço significativo’ em tratamento contra o Covid-19 
Pastor de 93 anos reunirá mais de 100.000 pessoas em oração por despertar espiritual
Filha de Billy Graham: “Tempo de se acertar com Deus”
Presidente da Bolívia pede jejum e oração contra a Covid

O crédito seria liberado para as igrejas e outros centros religiosos pelo Banco Regional de Brasília (BRB). Além disso, os líderes religiosos também pediram a liberação de pelo menos 25% do número de fiéis para que possam retomar às atividades aos poucos.

Em Cuiabá, por exemplo, no Mato Grosso, o prefeito Emanuel Pinheiro concordou em liberar o funcionamento gradual das igrejas na região. Ele resolveu assinar um acordo com os líderes locais pela colaboração conjunta em prol da luta contra a pandemia.

Na concepção de Pinheiro, os fiéis e lideranças religiosas devem atentar para a responsabilidade individual na luta contra o coronavírus, permitindo assim que eles próprios atuem de forma responsável diante das atividades que realizam nos templos.

“Assim como fizemos com o setor empresarial, estamos assinando o termo de compromisso de cooperação para a volta segura e gradativa das celebrações religiosas em Cuiabá”, afirmou o prefeito na ocasião. 



Médicos voluntários do Projeto Missão Covid atendem pessoas com suspeita da doença ou com dúvidas sobre o novo coronavírus. 




Postar um comentário

0 Comentários