Redes Sociais

Header Ads

Agências chinesas pagaram mais de 19 milhões de dólares para jornais americanos para publicar notícias positivas sobre a China produzidas pelo PCC

 Presidente chinês, Xi Jinping, discursa em cerimônia. —  Foto/Reprodução/Reuters Photo.  


Agências chinesas pagaram mais de 19 milhões de dólares para jornais americanos para publicar notícias positivas sobre a China produzidas pelo PCC
Fonte: POLITZ. —  Publicado no  CN em 11.jun.2020.   

Brasil  — Um grande portal independente americano publicou uma informação interessante que mostra como o imperialismo chinês funciona no mundo.

Conforme a reportagem da fonte originária, uma das principais agências de propaganda da China pagaram para jornais americanos quase U$ 19 milhões para fazer propaganda e até mesmo custos de impressão nos últimos quatro anos, conforme documentos fornecidos pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DOJ).

O China Daily, um jornal chinês em inglês controlado pelo Partido Comunista da China pagou mais de U$ 4,6 milhões para o the The Washington post e quase U$ 6 milhões para o The Wall Street Journal desde novembro de 2016, conforme registros divulgados.

Os dois jornais, de grande alcance no país, publicaram "suplementos pagos" que o jornal chinês produzia, chamado de "China Watch". A intenção era vender as publicações como se fossem notícias reais, mas sempre fazendo propaganda em favor da China.

Em uma das publicações de setembro de 2018, mostrou a iniciativa do "presidente", Xi Jinping com a seguinte manchete: "Belt and Roads se alinham coma s nações africanas", publicando também uma história intitulada "Impostos começaram a surgir para quem comprar casas nos Estados Unidos", levando a impressão que a guerra comercial contra a China prejudicaria a construção civil nos Estados Unidos.

O China Daily também pagou propagandas para diversos outros jornais, como o The New York Times (U$ 50,000), Foreign Policy (U$ 240,000), The Des Moines Register (U$ 34,600) e o CQ-Roll Call (U$ 76,000).

Em um total gasto de U$ 11.002.628 milhões em propagandas pró-China em jornais americanos e mais U$ 265,822 em propagandas no Twitter.

The Los Angeles Times, The Seattle Times, The Atlanta Journal-Constitution, The Chicago Tribune, The Houston Chronicle and The Boston Globe estão também todos listados como "clientes" da China Daily. A estatal chinesa pagou pelo menos U$ 600 mil dólares para o The Los Angeles Times para serviços de impressão.

O Departamento de Justiça há anos exige que o China Daily divulgue suas atividades semestralmente sob a Lei de Registro de Agentes Estrangeiros (FARA). O arquivo mais recente, enviado pelo China Daily em 1º de junho, é o primeiro a incluir detalhadamente os pagamentos aos meios de comunicação americanos. A saída divulgou essas despesas para o período entre novembro de 2016 e abril de 2020.

VEJA TAMBÉM:
Crise econômica bate na porta da OAB
Governador do RJ é denunciado à Organização Mundial da Saúde (OMS)
Homem invade sede da Rede Globo, no Rio de Janeiro, e faz repórter refém
Agente de saúde da Ilha de Itamaracá testa positivo para coronavírus e vence a luta
+“Antifascista” perde emprego ao ser visto em protestos violentos na paulista
Senador protocola pedido de impeachment contra Alexandre de Moraes
Moraes quer provas de ação no TSE em inquérito das fake news
PF: Deflagrada Operação Para Bellum que investiga compra de respiradores no Pará
Recife vai contratar empresa por R$ 2 milhões para auxílio na aplicação de multas
Bailes funk voltam com força total no Rio após ‘ajuda’ do STF
Ex-prefeito de São Paulo de Olivença é condenado a devolver mais de R$ 37 milhões 
Prefeitura alerta sobre golpe com falsos servidores de saúde em Manaus

Segundo a reportagem da fonte originária, não ficou claro se o China Daily enviou esses dados por pressão do Departamento de Justiça ou por conta própria.

Grupos pró-democracia há muito tempo alertam sobre as tentativas do governo chinês de fazer propaganda através dos meios de comunicação americanos. A Freedom House e a Hoover Institution chamaram a atenção para as inserções pagas do China Daily em relatórios sobre os esforços do governo chinês para influenciar a mídia.

O China Daily e outras máquinas de propaganda comunistas controladas por Pequim estão sob intenso escrutínio em meio à pandemia de coronavírus. Autoridades do governo chinês tentaram desviar a culpa pela disseminação do vírus para os Estados Unidos e outras nações ocidentais. Muitos dos veículos controlados pelo regime, incluindo o China Daily, ecoaram os argumentos dos líderes comunistas, como era de se esperar.

O China Daily diminuiu seus gastos com publicidade nos últimos meses, mostram os registros. O China Daily pagou pela última vez ao Washington Post por publicidade em dezembro de 2019. Seus pagamentos ao The Wall Street Journal foram menos da metade do seu valor médio desde fevereiro de 2020, mostram os documentos.

O China Daily não respondeu à reportagem da fonte originária, óbvio.





Médicos voluntários do Projeto Missão Covid atendem pessoas com suspeita da doença ou com dúvidas sobre o novo coronavírus. 





Postar um comentário

0 Comentários