Header Ads


VÍDEO - ACS/ACE confira o repasse dos R$ 1.550,00 ao seu município com esse passo a passo.

Fundo Nacional de Saúde faz repasse do novo valor do Piso Nacional, pactuado em 2018. —  Foto/Reprodução.

VÍDEO - ACS/ACE confira o repasse dos R$ 1.550,00 ao seu município com esse passo a passo.
Publicado no Conexão Notícia em 05.fev.2021.  

Agentes de Saúde | Em atendimento as diversas solicitações de informações, encaminhadas ao JASB - Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil e rede de voluntários da MNAS - Mobilização Nacional dos Agentes de Saúde, segue o passo a passo de como verificar o repasse do novo valor do Piso Nacional, no caso, os R$ 1.550,00 (mil quietos e cinquenta e cinco reais).

O repasse da competência janeiro de 2021, foi realizado na última quinta-feira (04), conforme pode ser verificado no Portal do FNS - Fundo Nacional de Saúde. O repasse foi realizado para todos os municípios. Segundo o FNS houve um pequeno atraso, devido as prefeituras que solicitaram mudanças de domicílio bancário, contudo, já houve resolutividade.

Nenhum prefeito ou secretário de saúde tem desculpas para que não realize o pagamento do Piso corrigido, ainda dentro do prazo.

O pagamento do Piso e os desvios impostos pelos prefeitos
O repasse foi realizado dentro no quarto dia útil, portanto, não justifica o não pagamento ou atraso amplo. Se o pagamento da competência de janeiro já foi realizada, nada impede que a gestão realize o repasse do completo. Infelizmente, ainda temos no país 67% de todos os ACS/ACE que não sabem o que é o Piso Salarial Nacional. As prefeituras recebem e não repassam, inclusive, em várias capitais. Nenhuma outra categoria do seguimento saúde é tão massacrada como os agentes comunitários de saúde e agentes de combate às endemias. O que agrava ainda mais a situação é o negacionismo dos que se dizem representantes dessas categorias. Negam que existe a falta de estrutura de trabalho, negam que a categoria não tem acesso a direitos fundamentais, por sua vez, terminam beneficiando os maus gestores com tais atitudes. Quando tem a oportunidade de denunciar os abusos, os negacionistas falam em conquistas que nunca saíram do papel para mais de 222 mil ACS/ACE. Massageiam o próprio ego, falando em suas supostas conquistas, quando na realidade não existe conquista alguma, não que seja de uma só pessoa ou entidade. As conquistas são construídas pelo coletivo, não pelo egoísmo ou arrogância de pessoas sem preparo, nem mesmo para reconhecer o elevado nível de precariedade que afeta os agentes comunitários e de combate às endemias do Brasil. 


Enquanto os maus gestores são beneficiados, tendo como seus aliados o egoísmo e a arrogância da legitima negligência, os ACS/ACE ficam sem acesso ao Piso Nacional, insalubridade em grau justo, incentivo adicional, além das diversas gratificações repassadas pelo Fundo Nacional de Saúde, contudo, retido nos cofres das prefeituras. São desvios milionários, que só existem graças a negligência, que é maior do que o volume de dinheiro desviado. 
Até quando ACS e ACE irão sofrer, quando poderiam ter vida com mais qualidade, além de ofertar tal coisa aos seu familiares? Até quanto terão que sustentar uma elite que viaja o país com tudo pago, fingindo defender os interesses da categoria, que diz representar, quando, na verdade, defendem interesses particulares. Além de seus salários super vantajosos, gratificações e ajuda de custo, que amplia cada vez mais as suas contas bancárias. Como essas pessoas reclamarão do sofrimento dos colegas, se o silêncio lhes ampliam os benefícios particulares e inimagináveis? 

Se não há força humana capaz de ter empatia ao sofrimento dos que sofrem, sem acesso aos seus direitos, em muitos casos, ameaçados de demissão, vítimas de assédio moral por não ter sido cabo eleitorais de candidatos inescrupulosos, contudo, há um Deus que tudo pode e que socorrerá os que sofrem. Ele ouve o gemido dos que choram, vê as lágrimas que nascem com a injustiça. Ele se compadece e, no tempo determinado, irá mudar essa trágica realidade. 

Como fica a situação dos prefeitos que pagaram no valor antigo
Os prefeitos que ainda não pagaram o vencimento de janeiro de 2021,  deverão fazê-lo com o novo valor do piso. Os prefeitos que já pagaram com o valor antigo, devem pagar fevereiro com novo valor. Detalhe: deverá pagar a diferença, que deixou de pagar, correspondente ao mês de janeiro. Atenção! 

O salário base correspondente a fevereiro deverá vir corrigido, ou seja, em R$ 1.550,00, além disso, a diferença do mês anterior (não pago), além dos reflexos sobre o adicional de insalubridade, quinquênios etc. Fiquem atentos para não levar golpe dos maus gestores.

Confira o passo a passo do repasse do novo valor do Piso Nacional:


Você precisa saber!

A correção do Piso Nacional dos ACS/ACE, realizada em 3 parcelas
Em 2018, ACS/ACE defenderam o que era chamado de "derrubada do congelamento do Piso Nacional." Infelizmente o congelamento não foi derrubado, contudo, a Lei  Federal nº 13.708 cedeu uma correção no valor do Piso, correspondente ao período de 2014 a 2018, pago em 3 (três) parcelas, a saber: R$ 1.250,00 (2019); R$ 1.400,00 (2020) e agora R$ 1.550,00 (2021). Até hoje o Piso Nacional segue congelado.  São 7 anos de congelamento.

Publicado no JASB - Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil 

Veja outras formas de doações, aqui!

Conteúdo relacionado:

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.