Header Ads


Jogo "SUPER SUS" transforma o SUS em "Pokemon brasileiro" é finalista em prêmio

    O "SuperSUS" foi selecionado para concorrer na categoria melhor jogo Educacional no "Brazil's Independent Games Festival - Big Festival 2021.  —  Foto/Reprodução.

Jogo "SUPER SUS" transforma  o SUS em "Pokemon brasileiro" é finalista em prêmio
Publicado no Conexão Notícia em 26.abril.2021.  

Agentes de Saúde Um jogo desenvolvido por pesquisadores e estudantes da Fiocruz - Fundação Oswaldo Cruz de Pernambuco se tornou finalista do maior prêmio de games independentes da América Latina. O "SuperSUS" foi selecionado para concorrer na categoria melhor jogo Educacional no "Brazil's Independent Games Festival - Big Festival 2021", que acontecerá entre os dias 3 e 9 de maio.

Lançado em junho de 2019, o jogo foi desenvolvido para que o jogador avance pela conquista de direitos à saúde pública, assim como ocorreu na luta pela criação do SUS (Sistema Único de Saúde), em 1988.

Logo no início, o aplicativo lembra que, antes do SUS, a saúde pública não era um direito universal no Brasil e atendia apenas os trabalhadores que tivessem carteira assinada.

A partir daí, sob controle do jogador, você vai conquistando direitos e avançando de fase, à medida em que vai conhecendo mais sobre o sistema, passeando pela rede de saúde e suas atividades e serviços ofertados.


Eu ficava vendo a influência que os jogos tinham na vida das pessoas, principalmente nos jovens, e pensava: 'poxa, porque a gente não mobiliza essa energia do jogo para o bem?' Via jogos que faziam desafios, mas não eram desafios positivos. Vi então que tinha uma lacuna ali, conta a coordenadora Islândia Carvalho.

Para ela, o SuperSUS seria um "Pokémon brasileiro". "Seria essa a ideia, da defesa do SUS, da defesa da vida. O desafio do jogo seria: quem salva mais vidas", explica.

O jogo ganhou as plataformas e, somente para dispositivos Android, foram mais de 10 mil downloads desde seu lançamento.

Importância de conhecer o SUS

Cena do jogo Super SUS finalista do Brazilian Indie Game. Imagem/Reprodução.

Carvalho, que é docente de pós-graduação em saúde pública do Instituto de Pesquisas Aggeu Magalhães, da Fiocruz-PE, conta que, ao longo de sua carreira de pesquisas na área, percebeu que as pessoas não conheciam a importância do sistema de saúde pública brasileiro.

É notório que as pessoas desconhecem o SUS. Em mais de vinte anos atuando nele, percebi que as pessoas não conhecem o seus direitos e não têm o SUS como patrimônio público, o que significou a conquista da saúde como direito. E o mote para o jogo foi: por que não aprender de forma lúdica?, lembra.

Ela conta que já existia uma equipe trabalhando na Fiocruz, com uma pessoas da área de educação à distância, design e desenvolvimento tecnológico. Foi junto com eles que o SuperSUS foi criado. 

A gente foi aprendendo junto: eu fui ensinando ao grupo o que era o SUS, quais eram os princípios e diretrizes, e eles iam desenvolvendo as partes de tecnologia", conta. "Foi uma construção coletiva. Acho que o sucesso do jogo vem disso: ele esteve bem aberto a críticas e sugestões neste período de produção, conta.

O prêmio A classificação para a final do prêmio, diz Carvalho, foi uma "surpresa enorme." 

Foi uma alegria porque um grande desafio que você tem nos serviços públicos, de um trabalho como esse, é o reconhecimento da mídia para ajudar na divulgação. O nosso grande objetivo é chegar na sociedade. A ciência tem um grande desafio de dialogar melhor com a população. Então, por trás desse jogo tem a ideia da popularização do conhecimento científico, de quebrar um pouco essa barreira, diz Islândia Carvalho.

A edição 2021 do prêmio BIG teve 510 inscritos. O júri selecionou 96 desses jogos, de 25 países, que concorrem em diversas categorias. 


Antes do dia do prêmio, a pesquisadora conta que o jogo vai ganhar uma nova atualização.

A gente vai ter nova versão para o Big Festival. A gente ainda tem mais dois jogos: um que é o SuperSUS contra a covid, que está sendo finalizado com novos parceiros; e o outro será o SuperSUS e atenção primária, conclui.

Publicado no JASB com informações do UOL. 

Acompanhe as notícias do JASB no WhatsApp ou Telegram 


STF - Advogados afirmam, que os ACS/ACE que já recebem o Piso Nacional, poderão ser prejudicados por erros da AASA-Bahia

    A AASA-Bahia, entidade criada a pouco tempo, é apontada como principal responsável por situação que deixa quase 380 mil agentes em alerta, no Brasil.  —  Foto/Reprodução.

O futuro dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias está nas mãos do Supremo Tribunal Federal (STF), que irá decidir se o Piso Nacional é aplicável aos servidores dos estados, municípios e Distrito Federal ou não.

Como tudo aconteceu
Conforme matéria publicada pelo Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil com base em informações de lideranças da categoria de diversos estados, inclusive da Bahia, além de advogados que analisaram o processo e a gravidade do problema, a AASA - Associação dos Agentes de Saúde do Estado da Bahia é a principal responsável pelo ocorrido. 
Segundo as lideranças e os advogados, a AASA-BA não deveria ter conduzido o rito processual pelo caminho que conduziu. Acesse a matéria completa, veja os principais posicionamentos sobre o assunto! Leia a matéria completa, aqui!


VÍDEO: Tudo ou nada no STF, Novo Piso para 2022, Acúmulo de Cargos, 30 horas semanais, 14º Salário e mais.

    Agentes Comunitários de Saúde são vítimas de discriminação e preconceito.  —  Foto/Reprodução.

No vídeo desta publicação a Dra. Elane Alves, ex-assessora jurídica da CONACS - Confederação Nacional dos Agentes Comunitários de Saúde, fala sobre a situação da categoria em relação a possibilidade do STF - Supremo Tribunal Federal derrubar o direito ao Piso Nacional. A situação que envolve a problemática envolvendo o Piso e o STF ocorreu por falhas do procedimento da AASA - Associação dos Agentes de Saúde da Bahia, conforme revelações de lideranças sindicais de vários estados, inclusive, da Bahia, também de vários advogados com histórico de atuação em defesa da categoria. A AASA - Bahia errou e esperamos que todos não tenham que pagar por isso. Leia a matéria completa, aqui!

Acompanhe as notícias do CN - Conexão Notícia no Facebook

Veja outras formas de doações, aqui!


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.