Vídeo - Ex-ministro da Saúde Luiz Mandetta critica campanha de vacinação do Brasil. - Conexão Notícia

Header Ads


Vídeo - Ex-ministro da Saúde Luiz Mandetta critica campanha de vacinação do Brasil.

  Ex-ministro da Saúde  Luiz Henrique Mandetta. —  Foto/Reprodução.

Ex-ministro da Saúde Luiz Mandetta critica campanha de vacinação do Brasil.
Publicado no Conexão Notícia em 26.fev.2021.  

Brasil O ex-ministro da Saúde Luiz Mandetta, que comandou a pasta nos meses iniciais da pandemia, vê o Brasil como uma nau sem rumo e com o SUS destruído. Em entrevista, afirmou: 

"A cepa mais transmissível anda de Ferrari. Já a campanha de vacinação vai de carroça".

Confira o vídeo:


A realidade dos ACS/ACE
Saindo da esfera da situação delicada em que se encontra a saúde pública brasileira e contextualizando a realidade de determinado grupo profissional, que está na linha de frente, Mandetta perdeu muito da popularidade que possuía entre os agentes comunitários de saúde (ACS) e agentes de combate às endemias (ACE), por ter sido omisso, quando poderia ter realizado ações de grande relevância em benefício das duas categorias, afinal, ele estava no mais elevado cargo do SUS, em que um deputado federal poderia chegar.


Tanto os ACS's, quanto os ACE's foram esquecidos durante a gestão do médico ortopedista, que, durante toda a permanência no Ministério da Saúde somente os citou, quando a sua demissão já estava estabelecida. Nem mesmo a rotina de entrevistas de Mandetta o fez lembrar dos ACS/ACE, que estavam na linha de frente, sem EPI's - Equipamentos de Proteção Individual e sem a garantia de seus direitos de forma plena. Uma das categoria do seguimento saúde mais afetadas. Mas, nem mesmo o elevado número de óbitos entre os agentes o fez manifestar solidariedade (não antes de sua saída do ministério ser estabelecida).

Mesmo antes de ser ministro da saúde, o deputado sabia da situação absurdamente precária dos agentes, sabia que mais de 222 mil ACS/ACE estavam (e continuam) sem garantia de seus direitos fundamentais. Em vários estados ocorre demissões em massa. 

O que Mandetta fez para evitar a mais absurda das demissões em massa, que já afetou os ACS' de uma mesma cidade, ocorrida na capital do Rio de Janeiro (com o desligamento de mais de 1.500 agentes comunitários de saúde)? Infelizmente ele não fez nada! 

Assim como ocorre com inúmeros deputados e senadores, o ex-ministro busca garantir o seu exército de militantes, que venha garantir o seu mandato com os olhos fechados. Contudo, os ACS/ACE não irão esquecer o quanto foram esquecidos, submetidos a um grau de omissão que pode ser considerado desumano, que o diga os agentes que até hoje não receber o valor do Piso Nacional, muitos recebem abaixo de um salário mínimo como base, entre os quais, os agentes de Salvador (BA). 

Quem fecha os olhos para os abusos manifestos em forma de negligência, sem dúvida alguma, agrava as enfermidades ocasionadas por ela.


Ministério da Saúde reconhece que Brasil vive pior momento da pandemia

O ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, reconheceu ontem (25/02) que o país vive uma nova etapa da pandemia e que o vírus está provocando uma contaminação três vezes maior. A repórter Sabrina Pires traz todos os detalhes, ao vivo, direto da redação do jornalismo. Confira o vídeo produzido pelo Jornal da Gazeta, aqui!




Publicado ao JASB - Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil.

Veja outras formas de doações, aqui!

Conteúdo relacionado:

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.