Partidos de esquerda elencam reivindicações para sucessão da Câmara - Conexão Notícia

Header Ads


Partidos de esquerda elencam reivindicações para sucessão da Câmara

A presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR).  —  Foto/Reprodução.

Partidos de esquerda elencam reivindicações para sucessão da Câmara
Publicado no Conexão Notícia em 22.dez.2020.  

Brasil  | PT, PSB, PDT e PC do B, os partidos de esquerda que estão no bloco agrupado por Rodrigo Maia (DEM-RJ) para disputar a eleição da Câmara em fevereiro, publicaram um documento nesta 2ª feira (21.dez.2020) em que elencam os temas “que merecem a atenção e responsabilidade do Congresso Nacional”.

As siglas se colocam contra a autonomia do Banco Central e privatizações. Também falam em vacinação universal contra o coronavírus coordenada pelo SUS, entre outros pontos. Leia o documento na íntegra (170 Kb).

As siglas anunciaram adesão ao grupo de Rodrigo Maia na 6ª feira (18.dez.2020). O Psol ficou fora do grupo e não assina o manifesto.


O atual presidente da Câmara não pode se candidatar novamente. Afirma que até 4ª feira será escolhido o candidato do bloco. Os mais cotados são Baleia Rossi (MDB-SP) e Aguinaldo Ribeiro (PP-PB).

Perguntado mais cedo, Maia negou ter negociado pauta econômica com os partidos de esquerda.

A nossa pauta é a garantia da independência da Câmara e trabalhar para que a liberdade de imprensa esteja mantida, as liberdades individuais, que o debate dos direitos das minorias esteja mantido na Câmara. Isso é o que nos une, declarou Maia.

O que nos divide é exatamente a pauta econômica. Se nós fossemos tratar dessa pauta não teríamos tido convergência como tivemos na 6ª feira, disse ele. 

O ministro da Economia, Paulo Guedes, já acusou o deputado de barrar privatizações para agradar a esquerda.

Os partidos da oposição buscaram o grupo de Maia principalmente porque o outro candidato colocado é Arthur Lira (PP-AL), aliado de Jair Bolsonaro. “Queremos derrotar Bolsonaro e sua pretensão de controlar o Congresso”, escreveram os partidos signatários do documento.

É importante para o governo ter um aliado na presidência da Câmara porque é prerrogativa do cargo decidir o que é votado. Se o Planalto quiser afrouxar a legislação sobre armas, por exemplo, o projeto só sai do papel se os presidentes da Câmara e do Senado pautarem.

Foto: Sérgio Lima
Poder360 

Conteúdo relacionado:
Mosquitos e caramujos são os animais que mais causam mortes em humanos no mundo




Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.