Redes Sociais

Header Ads

Bomba: Farmacêutica da Indonésia diz que ainda não é capaz de determinar eficácia da CoronaVac

A farmacêutica estatal da Indonésia Bio Farma disse nesta terça-feira que ainda não é possível determinar a eficácia da potencial vacina contra Covid-19 da chinesa Sinovac.  —  Foto/Reprodução.

Bomba: Farmacêutica da Indonésia diz que ainda não é capaz de determinar eficácia da CoronaVac
Publicado no Conexão Notícia em 08.dez.2020.  

Agentes de Saúde A farmacêutica estatal da Indonésia Bio Farma disse nesta terça-feira que ainda não é possível determinar a eficácia da potencial vacina contra Covid-19 da chinesa Sinovac, depois de anunciar mais cedo que dados preliminares mostraram que o imunizante tinha eficácia de até 97%.

Em comunicado, a Bio Farma disse que seu relatório preliminar sobre os estudos clínicos em Fase 3 com a vacina deve estar disponível em janeiro.

Bambang Heriyanto, um representante da estatal, disse que não é possível apontar a eficácia neste momento e que é preciso aguardar os dados completos.


Mais cedo nesta terça, a farmacêutica havia dito que os dados preliminares dos testes que realiza com a vacina, conhecida como CoronaVac, mostraram até 97% de eficácia.

A Sinovac já havia anunciado no mês passado que 97% dos adultos saudáveis que receberam uma dosagem menor e participaram das Fases 1 e 2 dos testes com sua vacina mostraram resposta imune depois de tomar o imunizante.

Um porta-voz da Sinovac disse nesta terça que a empresa ainda não recebeu leituras de eficácia da vacina vindas dos testes em Fase 3.

O Instituto Butantan, que realiza ensaio clínico de Fase 3 com a CoronaVac no Brasil, disse na semana passada que espera anunciar os dados de eficácia da vacinas nos testes em estágio avançado até o dia 15 deste mês.

A Bio Farma disse que nenhum dos 1.600 voluntários que participam dos testes que realiza registrou efeitos colaterais graves.

Terra Brasil Notícias
 

Conteúdo relacionado:




Médicos voluntários do Projeto Missão Covid atendem pessoas com suspeita da doença ou com dúvidas sobre o novo coronavírus. 

Postar um comentário

0 Comentários