Header Ads


Levantamento mostra que mais de 70% dos municípios registram recusa de vacinas

  A CMN apontou o aumento dos chamados “sommelier de vacinas”, ou seja, pessoas que escolhem a marca do imunizante contra a Covid-19. —  Foto: Reprodução.

Levantamento mostra que mais de 70% dos municípios registram recusa de vacinas
Publicado no Conexão Notícia em 21.julho.2021.  

Brasil | Um levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CMN) mostra que cerca de 70% das cidades brasileiras registraram casos de pessoas que recusaram determinadas vacinas contra a Covid-19. A CoronaVac, desenvolvida pela chinesa Sinovac e fabricada pelo Instituto Butantan, figura no topo da rejeição, com 50,8%, seguida pela da Astrazeneca, com 38,3%. Já a da Pfizer aparece com 4,3% de rejeição.

O levantamento da CMN, divulgado na sexta-feira (16), apontou o aumento dos chamados “sommelier de vacinas”, ou seja, pessoas que escolhem a marca do imunizante contra a Covid-19. De acordo com a pesquisa, o número de cidades brasileiras que registram esses casos subiu para 75,5%.

A CNM questionou 2.715 prefeituras de todo o país. Destas, 1.868 relataram ter tido problemas com recusa de vacinas, 783 dizem que não enfrentaram essa situação e 64 não responderam ao questionamento.
 
Os imunizantes da Pfizer e da Janssen dominam a “preferência” dos brasileiros, apresentando rejeição mínima, de 1,9% e 3,3% respectivamente.


Por razões distintas, as pessoas têm rejeitado alguns tipos de vacinas e preferido outras. A AstraZeneca foi a primeira vacina que sofreu com esse problema, quando surgiu a informação [de] que o imunizante poderia causar trombose. Agora as pessoas preferem a Pfizer e a Janssen. A primeira porque é bem aceita nos Estados Unidos e na Europa, e a segunda por ser uma dose única – explicou Raphael Guimarães, pesquisador da Fiocruz, à rede CNN.

CN - Conexão Notícia.

Confira os preços baixos de nossa loja, aqui!


LEIA TAMBÉM:


Em entrevista, hacker expõe fragilidade das urnas brasileiras

  Marcos Roberto Correia da Silva, o hacker que invadiu sistema do TSE. —  Foto: Reprodução.

Assessores do deputado federal Filipe Barros, relator da PEC do voto auditável, entrevistaram na prisão o hacker Marcos Roberto Correia da Silva, que apontou diversas vulnerabilidades verificadas no sistema do Tribunal Superior Eleitoral. O hacker foi preso em novembro de 2020 pela Polícia Federal.  Leia a matéria completa, aqui!



Fundo eleitoral será de quase R$ 6 bilhões em 2022

  Partidos podem ter ainda mais recursos para financiamento de campanha. —  Foto: Reprodução/Ranking dos Políticos.

Texto da Lei de Diretrizes Orçamentárias prevê aumento dos recursos para o financiamento de campanha.

Partidos podem ter ainda mais recursos para financiamento de campanha.

Entre os dispositivos incluídos pelo relator do projeto, deputado federal Juscelino Filho (DEM-MA), está o aumento do fundo eleitoral. A proposta é passá-lo de cerca de R$ 2 bilhões para mais de R$ 5,7 bilhões.  Leia a matéria completa, aqui!

Um teste de pré-natal usado em todo o mundo está enviando dados genéticos de mulheres grávidas para uma empresa chinesa.

 A empresa desenvolveu o teste junto com o exército da China. Os EUA vêem um risco de segurança. —  Foto: Reprodução.

Um teste de pré-natal usado em todo o mundo está enviando dados genéticos de mulheres grávidas para uma empresa chinesa. A empresa desenvolveu o teste junto com o exército da China. Os EUA vêem um risco de segurança. Leia a matéria completa, aqui!

Acompanhe as notícias do CN - Conexão Notícia no Facebook

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.