Caminhoneiros: não há mais bloqueio de rodovias, diz governo - Conexão Notícia

Header Ads


Caminhoneiros: não há mais bloqueio de rodovias, diz governo

   Caminhoneiros bloquearam rodovias em apoio ao presidente Jair Bolsonaro.  —  Foto: Reprodução.

Caminhoneiros: não há mais bloqueio de rodovias, diz governo
Publicado no Conexão Notícia em 10.setembro.2021.  

Brasil | Manifestantes seguem protestando em três estados (RS, SC e RO), mas não há comprometimento para o fluxo de veículos nas vias.

O governo federal divulgou no início da manhã desta sexta-feira (10) que não há mais bloqueios em rodovias federais por parte de caminhoneiros. Segundo informe mais recente do Ministério da Infraestrutura, feito com base em informações da PRF (Polícia Rodoviária Federal), às 7h30 havia alguns pontos de concentração de manifestantes, que caíram 45% desde a noite de quinta-feira (9), e se resumiam a três estados: Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Rondônia.


As informações constam em informe do Ministério da Infraestrutura, feito com base em informações da PRF (Polícia Rodoviária Federal).


"Nos estados de Mato Grosso do Sul, Goiás, Bahia, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santos e Paraná não há mais qualquer ponto de retenção na malha federal. Há aglomerações sem prejuízo ao livre fluxo de veículos no Mato Grosso e no Pará", diz o boletim do ministério.

Desde a noite de quarta, quando o protesto começou, o governo está mobilizado para convencer os caminhoneiros a liberar as rodovias ao redor do país. A categoria iniciou as manifestações para apoiar o presidente Jair Bolsonaro e criticar ministros do STF (Supremo Tribunal Federal).


O movimento, porém, não é apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro, que chegou a enviar na madrugada de ontem um áudio aos caminhoneiros para pedir o fim dos bloqueios. A CNT (Confederação Nacional do Transporte), que representa empresas do setor, também negou apoio à greve.

O governo teme que a paralisação possa se estender e comprometer ainda mais a economia. Ontem, o IBGE divulgou o novo índice da inflação oficial (IPCA), que avançou 0,87% em agosto, maior alta para o mês em 21 anos.

Bolsonaro disse na quinta-feira, em sua live semanal, que alguns bloqueios devem se manter até o próximo domingo (12). O chefe do executivo federal se reuniu com lideranças do movimento durante a tarde para desmobilizar as manifestações.

WASHINGTON ALVES/REUTERS - 09.09.2021.
BRASIL | Do R7
CN - Conexão Notícia 


O jornalismo do Conexão Notícia precisa de você para continuar marcando ponto na vida das pessoas. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado! Veja como doar aqui!

Confira os preços baixos de nossa loja, aqui!

LEIA TAMBÉM:


Os efeitos dos atos pró-Bolsonaro do 7 de setembro e a repercussão internacional

   O presidente Jair Bolsonaro fez discurso, durante ato na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.  —  Foto: Reprodução.

Os atos pró-Bolsonaro do 7 de setembro, ontem, especialmente em Brasília, São Paulo, Rio e Recife lembraram em participação, vibração, emoção e civilidade os grandes atos das diretas já, em 1984. Como nos grandes comícios pela redemocratização, apesar das multidões não houve quebradeiras, brigas ou provocações. Vestidos de verde e amarelo, os que foram às ruas, ontem, mostraram que é possível protestar sem baderna.

LEIA TAMBÉM:


Temer, o pacificador? 

   Michel Temer, ex-presidente da República, foi ao Palácio do Planalto e convenceu Bolsonaro a estender a bandeira branca.  —  Foto: Reprodução.

Nas gigantescas crises de Governo, especialmente as que abalam a República, os bombeiros são muito bem-vindos. Na era Fernando Henrique, Marco Maciel apagou muitos incêndios. Até então, Bolsonaro e Supremo Tribunal travaram uma batalha que parecia sem fim. Era preciso alguém ceder, mas não aparecia um Marco Maciel.

Finalmente, Michel Temer, ex-presidente da República...

Acompanhe as notícias do CN - Conexão Notícia no Facebook

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.