Header Ads


Polícia investigar ginecologista por crimes sexuais após mais de 50 mulheres procurarem a delegacia

   Em reportagem, Isabella Joy, delegada da Polícia Civil. Ela comentou sobre o caso.  —  Foto: Reprodução.

Polícia monta força-tarefa para investigar ginecologista por crimes sexuais após mais de 50 mulheres procurarem a delegacia
Publicado no Conexão Notícia em 01.outubro.2021.  

Brasil | Uma das vítimas diz que foi abusada quando tinha 12 anos, durante consulta. Médico segue preso e defesa diz que ele manteve 'simples exercício profissional'.

Aumenta o número de denúncias contra ginecologista preso em Anápolis.

A Polícia Civil montou uma força-tarefa, na quinta-feira (30), para investigar o ginecologista Nicodemos Júnior Estanislau Morais, de 41 anos, preso suspeito de crimes sexuais, após mais de 50 mulheres entrarem em contato com a delegacia, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. Entre as denúncias, está a da Kethlen Carneiro, de 20 anos, que procurou a corporação para relatar que foi abusada por ele quando ainda tinha 12 anos.

Ele veio me falar que eu podia começar a me masturbar. Me mostrou histórias em quadrinho pornô e vídeos. Me mandando os links e quais eu podia assistir. Depois levantou, pegou minha mão e colocou nele, na parte íntima dele", disse.

Em nota, a defesa do médico disse que teve acesso apenas a algumas partes do inquérito e que, até então, “consta somente o simples exercício profissional” e que “em nenhum momento realizou qualquer tipo de procedimento médico com cunho sexual”. Além disso, ressaltou que outras pacientes se dispuseram a depor em favor dele.


A delegada Isabella Joy contou ainda que os telefones da delegacia não param de tocar. "A cada hora cresce, recebemos ligações. Até o momento temos ideia de umas 52 ou 54, mas creio que nós podemos chegar até umas 100 vítimas". Ao todo, 41 mulheres já foram ouvidas e outras 20 devem prestar depoimento nos próximos dias.

De acordo com a delegada, devido à quantidade de denúncias, foram convocadas mais agentes mulheres e escrivãs para atender as vítimas. Até então, o médico era investigado por violação sexual, mas deve responder também por estupro de vulnerável.


“Nós temos uma vítima que foi quando tinha 12 anos, então, foi estupro de vulnerável. Hoje, ela já é maior de idade, mas vai responder também”, disse a delegada.

Ginecologista Médico Nicodemos Júnior Estanislau Morais, de 41 anos, foi preso suspeito de violação sexual contra pacientes enquanto trabalhava, em Anápolis, Goiás.

Segundo a polícia, o médico já foi condenado pelo mesmo crime no Distrito Federal, em 2019. Mas, como era réu primário, ele não foi preso. Ainda de acordo com a corporação, ele também foi denunciado no Paraná, mas o caso foi arquivado em 2018. A corporação não disse o motivo.

O Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego) informou, por meio de nota, que soube das denúncias contra o profissional na quarta-feira (29) e que "vai apurar o caso e a conduta do médico no exercício profissional".


“Ele teve conversas inadequadas, me mostrou sites obscenos, brinquedos eróticos e tocou em mim não da forma que um ginecologista deveria tocar. Quando ele colocou minha mão da parte íntima dele, sabe?”, disse a paciente, que não quis se identificar.

A vítima conta que fez o pré-natal com o médico e precisou de acompanhamento após o parto por problemas hormonais. O abuso relatado teria acontecido em uma das consultas.

“Quando ele começou a me tocar, tirou a minha camisola e começou a passar a mão pelo meu corpo. Foi a partir desse momento que eu vi que não era algo que um ginecologista deveria fazer”, completou.

Outra mulher também teve coragem de falar sobre o crime somente com a prisão do suspeito. Ela disse que, durante uma consulta no ano passado, o médico elogiou seus olhos e também o órgão sexual. Em seguida, perguntou sobre sua relação sexual com o marido.


“Eu fiquei congelada e ele fazendo manipulações, isso tudo com os dois dedos introduzidos na minha vagina. Eu não consegui nem respirar no momento. É uma situação que a gente nunca espera que vai acontecer”, contou.

Prisão e investigação
O médico foi preso em seu consultório na quarta-feira (29). Mais de 40 mulheres já relataram à polícia que foram vítimas do ginecologista. Destas 26 já formalizaram a denúncia na polícia.

Um vídeo mostra quando Nicodemos Júnior é preso. Ele entregou aparelhos eletrônicos para serem periciados. Do lado de fora, pacientes que aguardavam atendimento ficaram surpresas com a revelação da polícia de que ele estava sendo preso suspeito de violação sexual mediante fraude.

A delegada Isabella Joy informou que as pacientes não podiam entrar acompanhadas no consultório e que os abusos aconteciam também por meio de aplicativos de mensagens, por onde mandava sugestões de livros eróticos. “Ele agia da mesma forma: ou era na consulta ou no exame transvaginal. Ele sempre fazia isso sozinho e nesse momento ele abusava das vítimas”, disse.

Segundo a delegada, o médico escolhia pacientes jovens, bonitas e que estavam sozinhas. O profissional tem registro para praticar a medicina em Goiás, Pará, Paraná e Distrito Federal.

“Ele tem CRM em vários estados, já atuava há um bom tempo, então pode ter outras vítimas”, completou a delegada.

Por Guilherme Rodrigues, g1 Goiás
CN - Conexão Notícia 

O jornalismo do Conexão Notícia precisa de você para continuar marcando ponto na vida das pessoas. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado! Veja como doar aqui!

Confira os preços baixos de nossa loja, aqui!

LEIA TAMBÉM:

Documento mostra que laboratório em Wuhan buscou aportes para criar coronavírus em morcegos

   Agência dos EUA se recusou a patrocinar projeto.  —  Foto: Reprodução.

Instituto tentou US$ 14 milhões em investimentos.

O Instituto de Virologia de Wuhan e o laboratório norte-americano EcoHealth Alliance buscaram financiamentos dos EUA. A ideia seria patrocinar pesquisas com coronavírus “vitaminados” em morcegos, com a finalidade de inoculá-los contra doenças que poderiam atingir os humanos. É o que informou reportagem do jornal britânico The Telegraph, publicada na quarta-feira 22. Leia a matéria completa, aqui!

Datena diz que perdeu parte do pâncreas por conta da cerveja e que tentou fumar maconha

   Apresentador José Luiz Datena.  —  Foto: Reprodução/Band.

Apresentador também disse que já tentou fumar maconha.

O apresentador José Luiz Datena, de 64 anos, contou que tentou fumar maconha na adolescência. Segundo o site NaTelinha, ele fez a revelação durante o programa Brasil Urgente, da Band, enquanto mostrava imagens de uma apreensão de drogas em São Paulo. Leia a matéria completa, aqui!

Acompanhe as notícias do CN - Conexão Notícia no Facebook

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.