Como a Associação Fnaras tentou destruir a proposta da CONACS para se promover como salvadora do Piso Nacional - Conexão Notícia

Header Ads


Como a Associação Fnaras tentou destruir a proposta da CONACS para se promover como salvadora do Piso Nacional

 A estratégia é atacar a PEC 22 para depois apresentar uma salvação, como se fosse algo que salvasse a todos. —  Foto: Reprodução.

Como a Associação Fnaras tentou destruir a proposta CONACS para se promover como salvadora do Piso Nacional
Publicado no Conexão Notícia em 17.junho.2021. 

Agentes de Saúde |  Como se estivesse em um verdadeiro campo de guerra, a Associação Fnaras ataca diariamente a proposta de reajuste do Piso Nacional da CONACS. Algo que é muito comum entre empresas concorrentes. Mas, qual o motivo real de todos esses ataques que visam confundir os Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias de todo o Brasil?

Em live, hoje (16/06) a Associação Fnaras apresentou a salvação do Piso Nacional, depois de passar mais de uma semana atacando a CONACS. Falam em união e harmonia, como fizeram hoje na live, mas, depois de tentar desmontar a proposta da Confederação. Como conseguirão união dessa forma? (Veja o vídeo com a fala contra a PEC 22, aqui!)


Reajuste do Piso Nacional
A Proposta de Emenda Constitucional 22, de 2011, visa garantir o Reajuste do Piso Nacional dos ACS/ACE. Conforme o Dep. Valtenir Pereira falou em plenário, espera-se que ela seja apreciada no Congresso Nacional. O texto que fala do valor de R$ 1.600 será reajustado para mais ou menos R$ 2.200. Esse tipo de edição é comum, já aconteceu quando o texto era inconstitucional e falava por expresso em dois salários mínimos. 

 Na live de hoje, a criadora da associação parabenizou a assessoria jurídica pela proposta do reajuste do Piso Nacional. Não informou que a Confederação já possuía uma proposta pronta.  —  Foto: Reprodução.

Acreditam que a categoria é inocente?
Agora supostamente apareceu a salvação, apresentado pela Fnaras. Por que antes de atacar a CONACS, não apresentaram a proposta que estão apresentando agora? Entenderam qual foi a estratégia? Criaram uma narrativa de fim do mundo, depois apresentaram a saída para evitar esse suposto apocalipse. 


A origem da Associação Fnaras
A Fnaras - Fórum Nacional das Representações dos ACS/ACE, uma associação integrada majoritariamente por dissidentes (pessoas que saíram) da CONACS, criada pela ACS Marivalda Pereira (intitulada presidente da associação). Marivalda Pereira é presidente militante do PT em Guanambi (BA), presidente do sindicato local, é sindicalista a mais de vinte e cinco anos (segundo ela), foi vice-presidente da CONACS por dois mandatos, além disso é suplente de Deputada Estadual pelo PT. 

Vídeo esclarecedor:


Briga pelo poder
As constantes confusões entre os participantes da FNARAS já custaram a remoção, sem avisos prévios, de vários ACS/ACE de grupos de WhatsApp. A postura radical tem gerado muita polêmica e chamadas de atenção nos grupos fechados dos diretores da associação. Inclusive sendo pauta principal de reunião remota. Esses acontecimentos já se tornou matéria em publicação anterior.

Porque a Associação Fnaras não trilha o próprio caminho?
Tentar derrubar a CONACS para atuar em seu lugar é um caminho desnecessário. Mas, como o público é o mesmo e a área de atuação institucional também, pensam que é mais fácil desmontar a CONACS e tomar o seu lutar. Fiquem atentos a essa realidade. 
Falam na luta que nos unem, contudo, atacam a Confederação todos os dias, a cada momento que é possível.

PEC 22, PEC 14 e Federalização
Por que não defender as 3 propostas? Por que preferem ficar atacando uma as outras, apontando defeitos e falhas nas articulações, sem tomar uma atitude sensata, que é fazer jus ao milionário investimento financeiro que a categoria faz?

Com a finalidade de criar confusão na cabeça dos ACS/ACE, a militância da Associação fez vários questionamentos e levantamento de suposições sobre a PEC 22, apresenta a fala do ex-ministro Mandetta, totalmente fora de contexto, porque a referida proposta estava envolvida num contexto diferente de hoje. Na mensagem de Mandetta, havia ocorrido uma ação parlamentar para mudar o texto inconstitucional, que falava em dois salários mínimos, o que não é constitucional. O texto da PEC já foi mudado antes e pode ser mudado novamente, sempre problema algum. 

LEIA TAMBÉM:

Mais de dois milhões de reais
Para se ter ideia da quantidade de dinheiro que somente uma das entidades a nível nacional pode movimentar, se atingir pelo menos 200 mil agentes filiados ela, terá a soma mensal em dinheiro de R$ 200.000,00 (duzentos mil reais) e anual de 2.400.000,00 (dois milhões e quatrocentos mil reais). Agora será que ficou claro porque tanta confusão entre as entidades a nível de Brasil?  Leia a matéria completa sobre esses valores, aqui!

Erros na elaboração da lei que gerou milhares de demissões
A categoria desconhece os motivos pelos quais as leis, que nasceram de Emenda Constitucionais, não são respeitadas pelos prefeitos. Mas, aqui nós revelamos os motivos e as manobras que certas lideranças maliciosas faz para encobrir os erros e fugir da responsabilidade. 
A Lei Federal 11.350/2006, que nasceu da EC 51, foi redigida com erros grosseiros, que mais favoreceu aos maus prefeitos, do que serviu de benéficos aos ACS/ACE. Como outras leis foram incorporadas a ela, a exemplo da Lei 12.994/2014 etc., os erros terminaram por ser ainda mais ampliados. É o caso da admissibilidade de duas formas de contratações, ou seja, o texto da lei admitiu a precarização da categoria com a contratação foram do ideia, que seria estabelecer os ACS/ACE como servidores públicos estatutários e não o modelo precário ou as duas formas, exatamente como está expresso na lei. Matéria completa, leia aqui!

CN - Conexão Notícia e JASB - Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil.



VÍDEO - Liderança nacional perde o controle, depois que ACS/ACE cobraram a Federalização.

 Pesquisa revela que 90% dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias desejam a Federalização, contudo, para não reduzir privilégios financeiros, representação despreza representados. —  Foto: Reprodução.

A realidade é chocante, além de absurda. Se por um lado maus gestores dentre os 5.570 municípios oprimem os Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias, por outro os agentes são humilhados, considerados invisíveis por parte de instituições que deveriam ouvir e buscar atender os anseios daqueles que as sustentam com os seus patrimônios financeiros. Matéria completa, leia aqui!

Acompanhe as notícias do JASB no WhatsApp ou Telegram

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.