Header Ads


Alagoas: Agentes de Saúde e outros servidores, dialogam sobre direitos em reunião com gestão da capital

 A principal pauta . —  Foto: Reprodução.

Alagoas: Agentes de Saúde e outros servidores, dialogam sobre direitos em reunião com gestão da capital
Publicado no Conexão Notícia em 06.junho.2021. 

Agentes de Saúde | Representantes do Movimento Unificado dos Servidores Públicos de Maceió estiveram com o secretário de governo, Francisco Sales, e com a secretária de gestão, Rayanne Tenório, na manhã desta quarta-feira (02).

O presidente do SINDACS-AL, Nelson Cordeiro, participou de uma reunião, entre o Movimento Unificado dos Servidores Públicos de Maceió, o secretário de governo, Francisco Sales, e a secretária municipal de gestão, Rayanne Tenório. O encontro teve como objetivo a atualização das informações sobre alguns direitos dos servidores, como a recomposição salarial, questões sobre a concessão de aposentadorias, a homologação das consignações sindicais, o pagamento das progressões por mérito e a implantação do piso nacional para os  agentes de combate às endemias.


Durante a reunião, que também contou com a participação do presidente do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos de Maceió (IPREV) e de um procurador do município, a gestão ouviu as demandas reivindicadas pelos sindicatos e se posicionou sobre os encaminhamentos definidos.

De acordo com Nelson Cordeiro, uma das pautas que vem preocupando o movimento é a homologação das aposentadorias de alguns servidores. “Se um servidor pertence a uma determinada secretaria que não oferece nenhuma gratificação ou benefício de proatividade e depois ele é cedido para outro local onde recebe tais adicionais, esses valores não são incorporados à aposentadoria. Esse trabalhador acaba saindo da ativa em total desvantagem”, explicou.


A gestão informou que no momento está fazendo um estudo de viabilidade para saber se existe constitucionalidade para incorporar esses benefícios à aposentadoria e pediu um prazo de 15 dias para que a Procuradoria e o IPREV concluam o parecer técnico.

O presidente do SINDACS-AL questionou sobre a consignação relacionada aos convênios dos sindicatos com o município. “A quantidade de documentos exigidos é enorme e isso pode nos inviabilizar, pois nem tudo é conseguido com facilidade nos órgãos competentes”, apontou.

Outra importante pauta levantada no encontro foi a implantação do piso salarial dos agentes de combate às endemias, um direito garantido pela Lei Federal 13.708/18, mas que vem sendo ignorado pela Prefeitura de Maceió desde a gestão anterior. Os representantes do município, por sua vez, afirmaram que todas as demandas estão sendo ouvidas atentamente pelo prefeito JHC, mas que nem todas elas serão implantadas de imediato. “Nós não vamos abrir mão da implantação do piso salarial dos ACE, pois é um direito garantido por lei!”, enfatizou Nelson Cordeiro.


Ainda foi dito pela gestão que o município já concluiu o levantamento dos dados quantitativos dos servidores que devem receber as progressões por mérito referentes aos anos de 2017 a 2021. Foi informado, ainda, que será feita uma consulta ao Tribunal de Contas do Estado, para avaliar se há viabilidade para a implementação da recomposição salarial dos servidores, pois a Lei Complementar N° 173/2020 impede qualquer tipo de reajuste, mas a referida revisão não se aplica ao caso.

Para atualizar os sindicatos sobre as pautas levantadas nesta quarta-feira, uma nova reunião foi agendada para o dia 11 de junho.
 
Nós do SINDACS-AL e dos demais sindicatos que compõem o Movimento Unificado, esperamos e fazemos um apelo para que o município apresente algo concreto na próxima reunião, pois já tivemos vários encontros e até o momento não há nada de diferente para oferecer aos servidores de Maceió”, concluiu Nelson Cordeiro.

SINDACS-AL 
Publicando no CN - Conexão Notícia e JASB - Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil.

Acompanhe as notícias do JASB no WhatsApp ou Telegram

A PEC 14 e luta pela valorização dos agentes comunitários de saúde e de endemias

 PEC 14 visa corrigir erros da EC 51, que durante 15 anos vem causado prejuízos aos Agente  Comunitários de Saúde e de combate às endemias. —  Foto: Reprodução.

Desde o início da pandemia da Covid-19, tivemos muitas mudanças nas relações e formas de trabalho. Passamos pelo isolamento e distanciamento social exigidos nas tentativas de conter o avanço do vírus no país. Nesse mesmo tempo muitas categorias passaram a correr um risco maior por estar na linha de frente de enfretamento à pandemia. Outras também continuaram expostas por exercerem atividades essenciais à população. Algumas delas não são tão lembradas, mas estão presentes nas vidas de toda a comunidade. São os agentes comunitários de saúde (ACS) e agentes de combate às endemias (ACE). Leia a matéria completa, aqui!


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.