Entrevista de ACS à Secretaria de Atenção Primária a Saúde e a importância do trabalho realizado pela categoria - Conexão Notícia

Header Ads


Entrevista de ACS à Secretaria de Atenção Primária a Saúde e a importância do trabalho realizado pela categoria

   Altivani Leite de Souza, que trabalha como agente comunitário de saúde, explica a importância de sua categoria.  —  Foto: Reprodução.

Entrevista de ACS à Secretaria de Atenção Primária a Saúde e a importância do trabalho realizado pela categoria  
Publicado no Conexão Notícia em 24.julho.2021. 

Agentes de Saúde |  "Profissional ACS é o elo entre o cidadão e a UBS". Na prática, o trabalho do ACS vai muito além da "frase" acima, sendo que o alcance de suas funções depende, também, dos gestores. E com a pandemia, a importância do profissional para a sociedade ficou muito mais evidente. Quem explica melhor tudo isso é Altivani Leite de Souza, que trabalha como agente comunitário de saúde no município sul-matogrossense de Paranaíba há 21 anos e topou compartilhar com a Saps suas experiências e reflexões. Conheça detalhes desse trabalho na entrevista com o ACS paranaibense Altivani Leite de Souza. Confira a entrevista abaixo: 

O que faz um agente comunitário de saúde? 

"O ACS trabalha com informações na área. Por exemplo: orienta mulheres sobre o parto, explicando que o parto normal é mais seguro; estimula o pré-natal e o teste rápido, para evitar a sífilis congênita, além do teste do pezinho; faz palestras nas escolas, ensina sobre a importância do uso de preservativos, de como cuidar da casa para não proliferar o mosquito da dengue e reduzir os casos de leishmaniose, etc. Nosso trabalho engloba, também, a busca ativa de pacientes e o apoio a comunidades vulneráveis e discriminadas, como prevê a Lei nº 13.595". 

Qual a importância desse profissional para a APS?

É necessário enxergar todas as dimensões da Atenção Primária, que vão além da parte ambulatorial, inclusive para dialogar com as políticas do Sistema Único de Saúde (SUS). O agente comunitário trabalha com dois alicerces práticos, que são a promoção e a prevenção da saúde, o que não era o foco antes da Constituição de 1988. A mudança no conceito de saúde após a criação do SUS pretende, como a gente diz, o completo bem-estar físico, social e mental, sendo o ACS extremamente necessário para essa construção.

Quais são os principais desafios enfrentados pelos ACS no dia a dia?

O agente comunitário de saúde é visto por boa parte da população e até mesmo por alguns gestores como um “faz tudo” dentro da unidade de saúde: o entregador de receitas, encaminhamentos e medicamentos, o substituto da portaria e aquele que pode atender o telefone. Porém, essa visão é limitada. É claro que se o paciente não tem condições de ir até o posto, a gente leva o que ele precisar em casa, mas não é só isso. O agente que é colocado para cumprir apenas esse tipo de função, sendo que parte delas nem competem a ele, não está utilizando todo o seu conhecimento e não está sendo bem aproveitado pela unidade. Além disso, para que o profissional seja valorizado, também é necessário tomar cuidado com o excesso de carga de trabalho. O ACS não é descartável.

No contexto da pandemia, qual é o papel do ACS?

Nós fazemos a busca ativa das pessoas para a vacinação, combatendo, inclusive, notícias falsas, que desestimulam e criam medo das vacinas, principalmente na população mais carente de informação. Então, cuidamos desse fluxo, organizando as chamadas de pacientes para vacinar, já que temos acesso aos telefones das pessoas da área e aos horários em que elas são encontradas, para chamá-las nos momentos adequados. Nenhum outro profissional tem todas essas informações à mão. No pós-covid, o ACS também é fundamental para identificar pessoas e sequelas, principalmente as que não conseguem se locomover até a unidade, e dependem do nosso trabalho. Além das consequências próprias da doença, também identificamos famílias em condição de vulnerabilidade social e casos de fome. Para que tudo isso se concretize com qualidade, as gestões precisam fazer um bom aproveitamento do ACS, deixando-o o máximo de tempo possível em campo e compreendendo a importância do profissional na detecção de dados relevantes para a saúde do município, como os impactos reais da doença nas localidades - porque cada município tem uma realidade e consequências diversas. Naqueles que já tinham certa dificuldade com relação a emprego e renda, por exemplo, a covid-19 provavelmente afetou mais a população. Com relação aos que morreram pela doença, é importante ter uma perspectiva de quem são essas pessoas, onde estão essas famílias e como estão lidando com isso. Com um bom direcionamento do ACS, é possível trazer esses dados para as unidades de saúde e, assim, estruturar a APS de acordo com essas informações.


Como o trabalho do ACS pode ser ainda melhor e beneficiar mais os brasileiros?

Primeiramente, investindo cada vez mais na Atenção Primária, que é a porta de entrada do cidadão no SUS, e deve ser tratada por toda a sociedade com a devida importância. Depois, incentivando gestões participativas, que entendam o potencial e o papel do agente comunitário nos territórios e tenham uma visão para além das atividades ambulatoriais. E como a covid-19 ainda é uma realidade, ressalto a importância do cuidado contínuo com a segurança sanitária dos ACS, pois antes de estar nos hospitais e nas unidades de saúde, o vírus circula nos bairros e comunidades, onde nós estamos.

Ministério da Saúde
CN - Conexão Notícia  e JASB - Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil.

Inscreva-se no canal do JASB no YouTubeWhatsAppTelegram ou Facebook.


Confira os preços baixos de nossa loja, aqui!


Te Respondo: Por que algumas prefeituras pagam o Incentivo Adicional (14º) e outras não? 

   Nenhuma das muitas cidades, que garantem o Incentivo Financeiro Adicional aos Agentes Comunitários e de combate às endemias, pagam porque o prefeito é bom, mas, porque a norma estabelece tal pagamento.  —  Foto: Reprodução.

No te Respondo de hoje, trataremos da questão que representa o maior desvio de recurso público público, destinado aos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias do país, que ocorre todo final de ano. 

Valor a ser paga nesse ano - Nesse ano o valor a ser repassado a cada ACS/ACE do país, conforme regras estabelecidas pelo Ministério da Saúde, será de R$ 1.550,00 (mil quinhentos e cinquenta reais)... Veja a matéria e o vídeo completo, aqui!


Tramitação: Mais de 30 deputados solicitam o Apensamento da PEC 14 à PEC 22.

   Ilda Angélica Correia, diretora presidente da CONACS não mede esforço para que PEC 14/2021 seja aprovada ainda nesse ano —  Foto: Reprodução.

A Proposta de Reajuste do Piso Salarial Nacional que tramita em Brasília, encontra-se na reta final. Trata-se da Proposta de Emenda à Constituição - PEC 22/2011. Com a finalidade de ampliar o acesso a outros direitos,  Ilda Angélica Correia, diretora presidente da CONACS - Confederação Nacional dos Agentes Comunitários de Saúde, estabeleceu a estratégia de apensamento da recém criada PEC 14/2021. 
Segundo a líder da Confederação, a medida irá acelerar a tramitação da proposta criada pela Associação FNARAS. Entidade criada por ex-diretores da CONACS. 


PREVINE BRASIL: Confira as Dicas de Ouro fornecidas pelo Presidente do Sindas-RN.

   O Programa Previne Brasil garante gratificação à categoria —  Foto: Reprodução.

Dicas de ouro - O Programa Previne Brasil foi instituído pelo Ministério da Saúde do Brasil, em 2019, durante a gestão de Luiz Henrique Mandetta como ministro da saúde. O Previne determinou alterações no financiamento de custeio da atenção primária à saúde no país, dentre outras questões.
Ao tratar sobre o tema, em primeiro lugar, Cosmo Mariz orientou a categoria para que, "quando for reivindicar o Previne Brasil, coloque que é 'uma gratificação com recurso do Previne e não a Gratificação do Previne.' Segundo o sindicalista... 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.