Header Ads


Cerca de R$ 1 milhão serão destinados a formação digital dos Agentes de Saúde (ACS/ACE)

Cerca de R$ 1 milhão serão aplicados na formação em saúde digital de agentes comunitários de saúde e de controle de endemias  —  Foto/Reprodução.

Cerca de R$ 1 milhão serão destinados a formação digital dos Agentes de Saúde (ACS/ACE)
Publicado no Conexão Notícia em 25.dez.2020.  

Agentes de Saúde  O valor é viabilizado por meio de Termo de Execução Descentralizada (TED) e destinado ao Núcleo de Telessaúde da UFPE (Nutes).

Os recursos serão aplicados na formação em saúde digital de agentes comunitários de saúde e de controle de endemias, com foco no fortalecimento da atenção primária à saúde no Nordeste. A capacitação vai beneficiar todos os estados da área de atuação da Sudene e o público-alvo inclui gestores, profissionais de saúde, técnicos e agentes comunitários. A proposta inclui Ensino à Distância (EAD), com oferta de um curso teórico-prático por plataforma digital em nuvem, além do pós-curso das práticas digitais na rotina dos profissionais, com prazo de execução de dois anos.

O Projeto conta com 2 mil vagas, organizadas em quatro turmas de 500 alunos. Serão ofertadas 400 vagas para Pernambuco distribuídas entre as regionais de Recife, Caruaru, Serra talhada e Petrolina; vindo em seguida os estados da Bahia (500 vagas); Ceará (300); Paraíba (150); Maranhão (150); Alagoas (100); Sergipe (100); Piauí (100); Rio Grande do Norte (100); Minas Gerais (50); e Espírito Santo (50).


A Coordenação de Desenvolvimento Territorial, Infraestrutura e Meio Ambiente (CODEM/CGDS/) da Sudene explica que desde 2007 as iniciativas de Telessaúde, uma das especialidades da saúde digital, vêm sendo desenvolvidas no país através do Programa Nacional Telessaúde Brasil Redes, uma ação que busca melhorar a qualidade do atendimento e da atenção básica no SUS, integrando ensino e serviço por meio de ferramentas de tecnologias da informação. “As tecnologias de informação e comunicação aplicadas à área de saúde permitem qualificar os serviços de saúde ofertados à população, ganhando escala, facilitando o acesso a serviços especializados e solucionando gargalos significativos, como a redução de distâncias, além de permitir o acesso a populações de pequenos municípios e do semiárido”, enfatiza Beatriz Lyra, coordenadora da CGDS. A Sudene entende que saúde digital e telessaúde são áreas estratégicas de inovação, que visam melhorar a qualidade de vida da população, integrando serviços e articulando redes intersetoriais.

Ações voltadas à saúde estão previstas no Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE), elaborado pela Sudene. Entre os programas previstos no Plano está o de Desenvolvimento Social e Urbano, que trata da ampliação e melhoria da saúde pública. A CODEM/CGDS elenca pontos de convergência entre a estratégia de Saúde Digital e os eixos e desafios definidos no PRDNE, como consolidar e ampliar o sistema regional de CT&I; estimular e reorientar políticas públicas tendo como eixo central a Inovação para o crescimento sustentável e inclusivo da Região Nordeste; aproximar a base científica regional dos padrões internacionais; e enfrentar o baixo nível da qualificação profissional.

O projeto está sendo associado a uma outra iniciativa da Sudene, o “+ Gestão Municipal”, apoiada pela ação orçamentária “Fortalecimento das Administrações Locais”, que tem o objetivo de capacitar servidores de municípios selecionados. No projeto em parceria com o Nutes, as capacitações serão focadas em Saúde Digital.

Saúde e Vigilância Sanitária


Conteúdo relacionado:

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.