Header Ads


VÍDEO - Mato Grosso: Presidente do SINDACS-MT fala sobre a situação do pagamento Piso Nacional de R$ 1.550,00

A sindicalista Dinorá Magalhães fala sobre o novo valor do Piso Salarial Nacional dos Agentes de Saúde.  —  Foto/Reprodução.

VÍDEO - Mato Grosso: Presidente do SINDACS-MT fala sobre a situação do pagamento Piso Nacional de R$ 1.550,00
Publicado no Conexão Notícia em 19.jan.2021.  

Agentes de Saúde | Dinorá Magalhães,  diretora presidente do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde do Estado de Mato Grosso – SINDACS/MT, falou em vídeo sobre a situação do  pagamento Piso Salarial Nacional de R$ 1.550,00. A nível nacional os Agentes Comunitários e de combate às endemias passam por grande apreensão, em face da incerteza do pagamento do Piso atualizado. 

Segundo informações da mais antiga fonte de informações dessas categorias, o JASB - Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil, somente 33% (trinta e três por cento) de todos os agentes do Brasil tiveram acesso ao valor de R$ 1.400,00. Isso representa apenas três em cada dez ACS/ACE. Segundo a coordenação da rede de voluntários da MNAS - Mobilização Nacional dos Agentes de Saúde, tal fato ocorre devido a precarização das duas categorias. 

Lamentavelmente ainda temos muitas cidades que nunca pagaram o Piso Salarial Nacional, inclusive, em várias capitais. A exemplo dos absurdos, Salvador (BA) paga menos de um salário mínimo como piso base. Essa não é a realidade apenas da capital baiana. Nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro a precariedade que envolve as duas categorias chega a atingir níveis absurdos, quando o assunto é garantia de direitos. As OS's (Organizações Sociais) se tornaram predadoras dos agentes, elevando o nível de negação de direitos a níveis absurdos. A exemplo disso, destaca-se o caos criado pela existência de 5 OS's atuando numa mesma cidade, orquestrando-se absurdos a ponto de ameaçar a existência dos referidos profissionais. A capital do RJ foi responsável pela maior demissão em massa da história dos ACS's do Brasil. Foram demitidos mais de 1.500 agentes no mesmo ano. O pior disso tudo é que o discurso a nível nacional é que "estamos avançando, temos grandes conquistas, somos uma categoria forte, mudamos a constituições várias vezes, somos a única categoria que conseguiu tais feitos." Discursos vazios, cujo objetivo é mascarar a realidade da grande precariedade que envolve os ACS/ACE. Leis que só existem no universo das ideias, que não são aplicadas no mundo real, não podem ser consideras benefícios. A responsabilidade da luta pela aplicação de tais leis não é apenas dos sindicatos e associações, mas, também das instituições que se dizem "possuidoras de legitimidade" para representar as referidas categorias.  Investir tempo e dinheiro em movimentos em Brasília ao longo de anos, não mudou a vida de mais de 222 mil ACS/ACE. Se houvesse união dos que lideram, socorrendo as bases, tudo seria diferente, comentou Samuel Camêlo.

No vídeo abaixo a sindicalista Dinorá Magalhães (SINDACS/MT), fala sobre  as necessidades que envolvem o novo valor do Piso Nacional.  Confira o vídeo:


JASB - Jornal dos Agentes de Saúde do  Brasil


Conteúdo relacionado:
Jornal Nacional: Agentes de saúde acompanham por telefone pacientes isolados com Covid

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.